zé ramalho
studio center
(67) 99826-0686

Urgente: Justiça dá mais cinco dias de prazo para Puccinelli pagar R$ 1 milhão de fiança

Defesa diz não saber como o cliente vai conseguir o montante

15 MAI 2017
Thiago de Souza
18h06min
Ex-governador tem mais 5 dias para pagar R$ 1 milhão Foto: TopMidiaNews

A defesa do ex-governador André Puccinelli (PMDB), confirmou que a Justiça Federal concedeu mais cinco dias úteis para o peemedebista pagar a fiança de R$ 1 milhão. O prazo venceu nesta segunda-feira (15), e caso não fosse pago, poderia ser decretada a prisão preventiva do investigado na Operação Máquinas de Lama, braço da Operação Lama Asfáltica. 

''Agora é correr atrás desse dinheiro'', informou Renê Siufi, que defende o ''Italiano'', como André Puccinelli é conhecido no meio político. 

Siufi diz que está em São Paulo e volta à Capital nessa terça-feira (16). ''Ainda não conversei com ele. Vamos sentar juntos e decidir a estratégia de defesa'', contou Renê. 

Ainda conforme o advogado, a prioridade agora é conseguir o dinheiro. Questionado como vai fazer, o advogado disse que não sabe e isso é uma questão do André Puccinelli. 

A defesa de Puccinelli estava aguardando uma decisão judicial que retiraria a necessidade do cliente de  pagar fiança. Porém, mais uma vez a Justiça Federal não se comoveu com os argumentos da defesa do ex-governador e manteve a exigência do pagamento. 


(Puccinelli quando inseriu a tornozeleira eletrônica)

Máquinas de Lama

André Puccinelli é investigado por lavagem de dinheiro e corrupção, investigadas na 4ª Fase da Operação Máquinas de Lama. A Polícia Federal aponta o principal líder do PMDB, como beneficiário de suposto megaesquema de corrupção na Secretaria de Obras do Estado. Ele trabalharia em conjunto com o empresário João Amorim em supostas falcatruas com a verba pública.

O ex-governador teve pela segunda vez, o apartamento em que mora em Campo Grande vasculhado pelos agentes federais, além de fazendas no interior do Estado. Na quinta-feira (11), André foi encaminhado para a sede da Polícia Federal, onde prestou depoimento e depois foi encaminhado até o Patronato, da Agepen, onde recebeu tornozeleira eletrônica, um dispositivo de acompanhamento virtual, usado normalmente em criminosos condenados, ou em investigados. 

Puccinelli está impedido de deixar a Capital, embora a defesa negue, e foi posto o pagamento de fiança no valor de R$ 1 milhão. 

 

 

 

 

 

Veja também