Corrida Cassems
(67) 99826-0686

Vereador rebate declarações de que causou saída de diretor do IMPCG e acaba no escuro

Queda de energia ocorreu no momento em que o parlamentar pedia a convocação de Lauro Davi para CPI na Câmara Municipal

14 SET 2017
Rodson Willyams
15h00min
Foto: Reprodução / Facebook

O vereador Valdir Gomes, do PP, usou a tribuna, nesta quinta-feira (14), para rebater uma declaração do ex-presidente do IMPCG (Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande), Lauro Davi, que recentemente foi exonerado do cargo. Em entrevista a uma rádio da Capital, Davi disse que foi demitido após 'barraco de vereador' e que a CPI iniciada na Câmara Municipal para investigar a instituição nasceu morta.

Indignado, o parlamentar rebateu dizendo que não tem poder para demitir ou contratar qualquer pessoa que seja, uma vez que não é prefeito de Campo Grande. "Mas se for, escolherei somente pessoas capacitadas", alfinetou.

Ele ainda alfinetou Lauro Davi alegando que o ex-secretário permaneceu no IMPCG por meses, mas não apresentou avanços. "Ele só encerrou convênios, prejudicou os holerites, 22 mil servidores ficaram desassistidos", disse.

Na sequência, o vereador questionou suposta omissão de Lauro que, segundo ele, não tomou nenhum providência para identificar quem lesou o órgão e, mesmo assim, disse que a CPI nasceu morta. "Se teve lesão, porque ele não denunciou?", questionou.

"Se nasceu, então que ele também seja convocado aqui para dar explicações. Não é por saiu que não tem responsabilidade", pontuou.

Durante a fala do parlamentar, houve queda de energia e a Câmara Municipal ficou sem luz. Da tribuna, Valdir caiu na risada diante da situação. Ao TopMidiaNews o parlamentar brincou: "o povo quer me calar, mas não vão conseguir".

Assim, o parlamentar que também integra a CPI, pediu a convocação de Lauro Davi. Porém, não há data prevista para a oitiva. 

Veja também