(67) 99826-0686
PMCG Novembro

VÍDEO: Zeca é flagrado tirando 'cochilo' durante votação no Congresso

Votação teria começado na manhã de ontem (11) e terminou na madrugada desta quinta-feira

12 JUL 2018
Rodson Willyams
09h46min
Foto: Reprodução

O ex-governador e atual deputado federal, José Orcírio Miranda, o Zeca do PT, foi flagrado tirando um cochilo durante sessão ordinária, no Congresso Nacional, na votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o ano de 2019.

Ao TopMídiaNews, Zeca confirmou que tirou um cochilo durante a votação. "Estava muito cansando, isso não é problema para mim. Ontem (11), a votação começou às 10h30 e foi terminar às 00h30 de hoje. Foi um dia corrido porque era a votação da LDO", explicou.

E emendou o assunto: "não tenho vergonha disto. Isto é sinal de quem está trabalhando. Quem trabalha fica assim", finalizou.

LDO

O plenário do Congresso Nacional aprovou, no início desta quinta-feira (12), o relatório do senador Dalirio Beber (PSDB-SC) ao projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2019. O texto será remetido agora à sanção presidencial.

A LDO aprovada reflete, segundo o relator, a dificuldade fiscal do País, mira o controle de gastos correntes e, de maneira inédita, dos incentivos fiscais. Um dos pontos centrais do relatório, no entanto, foi derrubado pelo Plenário: a proibição de reajuste salarial aos servidores e de criação de cargos no serviço público, ainda que com efeitos financeiros posteriores a 2019.

O Plenário derrubou o corte obrigatório de 5% das despesas de custeio administrativo no próximo ano para todos os Poderes, que abrange gastos com pagamento de diárias, água, luz e telefone. O relator afirmou que a medida tinha um objetivo pedagógico. A avaliação é de que o impacto da retirada do dispositivo não será grande, pois o custeio já está “espremido” pelos gastos obrigatórios, sofrendo constantes contingenciamentos para manter o limite de gastos por órgão.

Medidas preservadas

O Plenário preservou as demais medidas fiscais propostas pelo senador, como a proibição de concessão de novos benefícios tributários e a revisão dos já concedidos, restrição à convocação de aprovados em concursos públicos, proibição de pagamentos a agentes públicos com efeitos retroativos, e de reajustes do auxílio-alimentação e auxílio-moradia.

Veja o vídeo:

***Com informações da Agência Câmara.

Veja também