RACIONAIS
CAPITAL
(67) 99826-0686

Quer menos vereadores: Vinícius Siqueira se diz isolado em projetos polêmicos na Câmara

Vereador que redução de salários, cadeiras e duodécimo; mas parlamentares são contra

13 JAN 2017
Rodson Willyams
11h14min

Polêmico, o vereador novato Vinícius Siqueira, do DEM, afirmou que se sente 'isolado' pelos demais pares, por conta dos projetos considerados 'diferentes'. Ele propõe a redução dos salários dos vereadores, números de cadeiras e até do duodécimo repassado pelo Executivo à Câmara Municipal de Campo Grande.

O parlamentar revelou, em entrevista exclusiva ao TopMídiaNews, que muitos 'não gostam' quando toca no assunto e que preferem não discutir as propostas que foram assumidas por Vinícius durante a campanha eleitoral. "Os vereadores não aceitam esses projetos. Não acham boa ideia porque corta na própria carne. Eles ficam bravos, não querem ouvir e me sinto isolado na Câmara".

Segundo o vereador, o projeto tríplice somente teria seus efeitos na próxima legislatura. "Acho que eles [os vereadores] não entenderam. Mas os efeitos só funcionariam daqui a quatro anos. Nesta não valeria porque todos foram eleitos e eles têm o direito de exercerem os seus mandatos, uma vez que foram eleitos democraticamente".

Porém, conforme Vinícius, a discussão deveria ser levantada agora, uma vez que todos estão no início do mandato. "Essa discussão deve ser feita agora, porque no final do mandato, aquele parlamentar que não fez um bom trabalho, certamente, vai ser contra o projeto", pontua.

Duodécimo

Vinícius explicou que defende a redução do duodécimo repassado à Câmara Municipal. O repasse, segundo ele, foi em torno de R$ 60 milhões. O mesmo defende que com o corte de vereadores, o valor enviado poderia ser menor em R$ 30 milhões.

"O município iria economizar R$ 30 milhões por ano com esta redução no valor de repasse. Esse dinheiro poderia ser revertido para a construção do Hospital Municipal. Acho que a população iria gostar que esse dinheiro fosse aplicado nisso", afirmou.

Durante a posse dos vereadores, o parlamentar havia dito que ingressaria com o pedido de redução de parlamentares dentro dos primeiros 15 dias de trabalho como vereador, nele também estaria contido a redução dos salários dos vereadores. "Eles falaram que reduziram, mas não reduziu. Só congelaram o valor. É preciso que seja reduzido", comentou.

Contrário

Do outro lado da ponta, mostrando-se contrário às propostas, está o atual líder do prefeito Marquinhos Trad, do PSD, vereador Chiquinhos Telles, do mesmo partido. Segundo ele, a 'redução de números de vereadores, perderia a representatividade nas regiões'. "Tudo que for para economizar, temos que analisar. O que não podemos é fazer demagogia. Hipocrisia para ganhar votos".

Telles ainda e teceu críticas a Siqueira, sobre a forma como atua nas redes sociais. "Não dá para trabalhar só através de Facebook. Não quero ser um vereador virtual. Se eleger até pode ser através da rede social. No 'face', você escreve o que o povo quer ouvir. Mas muitas vezes, na prática, no dia a dia, é diferente".

E afirmou que há muitas formas para ajudar o município a economizar. "Fiscalizando mais o Poder Executivo em todas as ações. Usar sua prerrogativa de fiscalizador. Fazendo isso, tendo uma equipe nas ruas, ouvindo a população, trazendo problemas e indo nas comunidades ajudar. Para isso que servem os assessores. Para ir até eles! Não só através de Facebook, ninguém se reelege através da rede social".  

Chiquinho ainda afirmou que, neste momento, não dá para brincar de ser vereador. "Para ficar atrás de um computador, para ser vereador assim, não precisa de salários. Não vou fazer isso, não sou vereador que me reelegi através de rede social. Fui no chão, às ruas até ir até ao problema. Não quero ser demagogo", finaliza.  

À reportagem, Siqueira disse que até o atual presidente da Casa de Leis, João Rocha, do PSDB, teria se mostrado contrário às propostas. "Pelo que eu vi, ele é contra", finalizou. O TopMidiaNews tentou falar com o presidente, mas não conseguiu retorno. 

Veja também