FAPEC
FAPEC - vestiular
(67) 99826-0686
Gov presente - transparencia

Casos de HIV crescem mais de 45% no Estado, mas óbitos diminuem em 2017

A quantidade de casos saltou de 1.027 para 1.493, de acordo com dados do SINAN (Sistema de Informações de Agravos de Notificação)

30 NOV 2017
Notícias MS
17h14min
Foto: Reprodução

O número de novos casos de HIV/AIDS em Mato Grosso do Sul cresceu 45,3% nos primeiros 11 meses de 2017, em comparação com todo ano de 2016. A quantidade de casos saltou de 1.027 para 1.493, de acordo com dados do SINAN (Sistema de Informações de Agravos de Notificação).

Apesar do número de casos ter aumentado, tanto na manifestação da doença (AIDS), quanto na infestação do vírus (HIV), houve redução (32,3%) na quantidade de óbitos na comparação entre os dois anos.

A gerente técnica do Programa Estadual IST (Infecções Sexualmente Transmissíveis)/AIDS, Daniele Martins Tebet, explica que o diagnóstico e a adesão precoce ao tratamento foram os responsáveis diretos por esses números positivos.  “A redução foi de 95 óbitos, em 2016, para 64 óbitos, até 29 de novembro de 2017”, disse.

No combate à doença estão diversas ações como, o acesso universal à testagem (exame) e ao tratamento, além da disponibilização de antirretrovirais, apoio à pesquisas científicas e orientação da conduta das populações chaves, vulneráveis e prioritárias.

Segundo o Ministério da Saúde, estima-se que haja no Brasil 827 mil pessoas portadoras do HIV, sendo que 372 mil estão em tratamento e aproximadamente 112 mil vivem com o HIV, mas ainda não sabem. A maior concentração de infectados estão na faixa etária de 20 a 24 anos com média de 33,1 casos para cada 100 mil habitantes. Já na faixa etária entre 15 e 19 anos,  a média é de 6,9 casos para cada 100 mil habitantes.

Dezembro Vermelho

O dia 1º de dezembro se tornou o Dia Mundial de Luta Contra a AIDS após decisão da Assembleia Mundial de Saúde, em outubro de 1987, com apoio da Organização das Nações Unidas – ONU. A escolha dessa data seguiu critérios próprios das Nações Unidas.

A data tem o objetivo de reforçar a solidariedade, a tolerância, a compaixão e a compreensão com as pessoas infectadas pelo HIV/AIDS.  Com o passar do tempo e o crescimento do número de casos, foi instituída como uma oportunidade de se trabalhar a prevenção, o diagnóstico e o tratamento do HIV/AIDS com a população.

Para que as ações do Dezembro Vermelho sejam intensificadas, a SES (Secretaria de Estado de Saúde), por intermédio do Programa Estadual de IST/AIDS e Hepatites Virais, promove a distribuição de materiais de campanha para 59 municípios. As cidades são beneficiadas pelo Estado, já que não recebem o incentivo financeiro referente à Portaria Nº 3.276 do Ministério da Saúde.

A SES distribui ainda diversos insumos de prevenção (preservativos femininos, masculinos e gel lubrificante). Os teste rápidos, feitos pelo SUS, são distribuídos para todos os municípios de Mato Grosso do Sul.

Evento- dia 1º de dezembro

A Sesau (Secretaria de Estado de Saúde), em parceria com  a SES, realiza nessa sexta-feira (1), na UFMS  (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), um colóquio sobre HIV/AIDS e ações integradas.

Além do colóquio que abordará diversos temas, como perfil epidemiológico de Campo Grande, Diagnóstico tardio e abandono de tratamento: perfil dos casos internados no HUMAP (Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian), a Sesau programou também atendimento a população com aconselhamento e teste rápido no Shopping Campo Grande, além de panfletagem e distribuição de preservativos e laços no campo da UFMS e no shopping Campo Grande.

Veja também