informe leilão
dr. hernia
(67) 99826-0686

Com falta de profissionais, Prefeitura concentrará pediatria da Capital em 4 UPAs

Ação foi "denunciada" por usuários, mas assessoria explicou que ação ajudará a melhorar atendimento

18 MAI 2017
Liziane Berrocal
09h47min

Com os constantes problemas na escala de médicos pediatras no atendimento público da Capital a prefeitura resolveu “mudar” a escala da pediatria. Segundo foi informado, A Prefeitura Municipal de Campo Grande irá fechar o atendimento pediátrico nos CRS (Centros Regionais de Saúde) do Nova Bahia, Tiradentes, Coophavila e na UPA das Moreninhas, mantendo atendimento apenas em 4 UPAS que seria do Coronel Antonino, Vila Almeida, Universitário e Leblon.

Ainda de acordo com a reclamação, os pediatras que não puderem Trocar seu dia ou horário poderiam nclusive ficar sem o plantão. A reportagem então entrou em contato com a Prefeitura da Capital e também com a Sesau (Secretaria Municipal de Educação) que confirmou a situação, porém, explicando que a ideia é concentrar o atendimento.

Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, a proposta da SESAU é concentrar o atendimento pediátrico em quatro unidades (UPAs Coronel Antonino, Vila Almeida, Universitário e Leblon) para resolver o problema da escala e, assim, consequentemente, disponibilizar médicos 24 horas nestas unidades para atender a população.

A nota explicou que a falta de pediatras é um problema crônico, não só de Campo Grande, mas de todo o Brasil, e que os médicos da Rede Municipal de Saúde, preferem trabalhar no período noturno o que, consequentemente, gera uma falha nas escalas durante o período diurno (manhã e tarde).

“Hoje, dia 17, por exemplo, temos apenas 9 pediatras atendendo durante a manhã em duas unidades: Coronel Antonino e Vila Almeida. A tarde serão 16 profissionais nas UPAs Coronel Antonino, Universitário e Vila Almeida. Em contrapartida, à noite, serão 35 pediatras espalhados nas demais unidades de urgência e emergência”.

Nem plantão a R$ 1130 tem atraído médicos

Ainda de acordo com a Sesau, para atenuar os problemas, foi oferecido um “bônus” no valor de R$ 300 acrescida ao plantão que é de R$830, para que o pediatra trabalhe durante o dia. Entretanto, a maioria ainda prefere atender nos consultórios e ou hospitais particular. Com essa gratificação, o valor chega a R$ 1130 por plantão. Para a prefeitura, a solução é concentrar esses profissionais em quatro unidades garantindo o atendimento durante os três períodos: manhã, tarde e noite. Uma reunião está prevista para acontecer nesta quinta-feira, dia 18, às 19 horas, no auditório do Coronel Antonino para tratar desta questão com os pediatras da Rede.

Veja também