TJMS
re9
(67) 99826-0686

Casey quer revanche contra Gadelha e diz: 'Com certeza sairei vencedora'

Americana garante que chute ilegal influenciou na performance: "Depois do chute, ela passou a guarda e conseguiu acertar alguns golpes. Não foi uma coincidência"

30 NOV 2016
Globo Esporte
11h13min
Foto: Getty Images

As dores da derrota para Claudinha Gadelha no UFC São Paulo, no último dia 19, ainda estão vivas na cabeça de Cortney Casey. O resultado, em si, ficou pequeno diante dos episódios que sucederam o revés na decisão unânime dos jurados. A americana, que recebeu um chute ilegal na cabeça no terceiro round, se indignou com as insinuações - inclusive da CABMMA (Comissão Atlética Brasileira), ao site "MMA Fighting" - de que teria fingido que o golpe a acertou, utilizando o tempo para se recuperar no octógono. A entidade se retratou posteriormente, porém a situação seguiu incomodando a atleta.

Em entrevista exclusiva ao Combate.com, Cortney Casey - que garante que sua performance foi afetada pelo chute na cabeça - revelou o desejo de reencontrar a brasileira no octógono.

- Eu sei o que eu fiz de errado. Fui muito agressiva e acabei perdendo no wrestling. Eu perdi a luta, simples assim. Era uma situação vitoriosa para mim poder lutar contra a número 1 do ranking independentemente de qualquer coisa, mas se eu tiver uma nova chance, com certeza sairei vencedora da luta.

Confira abaixo a entrevista completa:

Como foi lidar com as críticas e com o fato de a CABMMA dizer que você simulou ter sido atingida pelo chute ilegal da Gadelha? 

Lidar com críticas faz parte do trabalho, já que somos analisados de perto o tempo todo. Eu tento não me destacar muito além das minhas habilidades como lutadora  pois eu tenho uma filha e ensino BJJ (jiu-jítsu brasileiro) para crianças. Faço de tudo para me portar de uma maneira respeitosa por servir de exemplo para muitas crianças. Por isso, quando o meu caráter foi questionado, encarei isso de uma maneira pessoal, já que eu não “fingi” que estava machucada apesar de estar perdendo a luta no wrestling. Eu nunca tentei achar um jeito de escapar da luta. 

Você chegou a conversar com alguém da CABMMA depois do que aconteceu na luta em São Paulo?

Não, mas eu gostaria... Antes de aceitar a luta, ouvi de vários lutadores que eu não deveria lutar no Brasil porque a Comissão Atlética Brasileira é tendenciosa. Foi sempre muito difícil ouvir isso, porque o Brasil é o berço do Vale-Tudo, e eu realmente queria competir onde tudo começou. Com uma história tão rica no esporte, sei que muitos lutadores querem competir no Brasil, mas optam por não fazer isso apenas por causa da comissão atlética local.

O quanto afetou a sua performance na luta o chute ilegal?

O chute com certeza me deixou em um estado bem vulnerável. Antes dos chute eu senti que estava acertando alguns golpes significativos em pé. Sei que ela estava me colocando para baixo com eficiência, mas ela não conseguia passar a guarda. Depois do chute, ela passou a guarda e conseguiu acertar alguns golpes. Não foi uma coincidência. O chute com certeza afetou a minha performance na luta. 

Você lutaria de novo no Brasil?

Sim, mas nos meus próprios termos, talvez no jiu-jítsu. No MMA, eu só sofri derrotas quando lutei na casa das minhas adversárias, por isso, acho que é hora de fechar algumas lutas nos Estados Unidos e retomar a minha ascensão no esporte. Em relação aos fãs, fui muito bem tratada e respeitada antes e depois da luta. Eu não tenho nada além de “aloha” aos fãs de MMA do Brasil.

No octógono a Gadelha se desculpou, mas na coletiva de imprensa após a luta ela disse que o chute não te atingiu. O que você achou dessa atitude?

A Claudia pediu desculpa várias vezes durante a luta, nos bastidores. O treinador dela disse que o chute me atingiu, por isso, quando ela declarou o contrário na coletiva de imprensa, fui pega de surpresa. Por que você vai pedir desculpas se você realmente acha que o chute não atingiu o seu oponente? Ela sabe a verdade. Acho que ela ainda recebe muitas críticas por ter dado um soco na Joanna (Jedrzejczyk) depois do fim do round naquela primeira luta e por ter dado uma joelhada ilegal na Ayaka Yamasaki, no Invicta... talvez não queira ser vista como uma trapaceira. Eu não guardo nenhuma mágoa em relação a ela, mas não entendo por que a mídia não está questionando mais ela e voltando toda a atenção para mim.

Você gostaria de uma revanche contra a Gadelha?

Claro que sim. Eu sei o que eu fiz de errado. Fui muito agressiva e acabei perdendo no wrestling. Eu perdi a luta, simples assim. Era uma situação vitoriosa para mim poder lutar contra a número 1 do ranking independentemente de qualquer coisa, mas se eu tiver uma nova chance, com certeza sairei vencedora da luta.

 

Veja também