FAPEC
Assembleia a  04 a 18/12
(67) 99826-0686
Gov presente - transparencia

Jon Tuck finaliza lenda Takanori Gomi no primeiro round no UFC Singapura

Lutador da ilha de Guam precisa de menos de dois minutos para encaixar mata-leão no japonês, ex-campeão peso-leve do Pride, na luta que encerrou o card preliminar

17 JUN 2017
Globo Esporte
14h04min
Foto: Getty Images

O japonês Takanori Gomi é uma lenda do MMA, ex-campeão peso-leve do Pride, mas parece não ter mais forças para se manter em ação. Diante de Jon Tuck, da ilha de Guam, o lutador de 38 anos resistiu por apenas 1m12, tempo que bastou para que o adversário buscasse suas costas para finalizar o combate com um mata-leão. Foi a quarta derrota seguida de Gomi, enquanto Tuck se recuperou de duas derrotas e chegou à décima vitória na carreira.

Duelo de pesos-pesados muitas vezes dura pouco, e assim aconteceu na vitória do americano Walt Harris diante do francês Cyril Asker, que nocauteou o adversário com apenas 1m44 de luta no UFC Singapura. Foi sua segunda vitória seguida na inconstante divisão que tem Stipe Miocic como campeão. Harris à décima vitória na carreira, que tem ainda cinco derrotas.

Logo nos primeiros segundos da luta, Harris entrou na postura de canhoto e já conectou um chute na linha de cintura. Asker o afastou com um cruzado de direita e combinou jabs e diretos, e ainda balançou Harris com um cruzado de direita. O americano se recuperou rápido, dominando o cage e buscando combinações de jabs e diretos, até acertar um cruzado de esquerda que levou Asker. Harris então trabalhou duros golpes na cabeça do adversário até que o árbitro John Sharp encerrasse o combate.

O americano Alex Caceres foi dominante diante do filipino Rolando Dy e venceu a luta por nocaute técnico, mas mostrou decepção após a interrupção médica no fim do segundo round, já que o adversário não teria condições de continuar a lutar, na avaliação do médico no octógono. Rolando Dy ficou inconformado com a decisão e chorou deitado no cage, e Caceres também lamentou, consolando o adversário. O americano voltou a vencer após duas derrotas, e agora tem 13 vitórias e dez derrotas na carreira.

No primeiro round, Caceres acertou uma boa combinação de jab e direto e Dy sentiu, mas o americano não tentou encerrar a luta. Mais tarde, conectou um chute alto de direita, e balançou de novo o filipino com um direto de direita. A esta altura, Dy não parava de mexer nos olhos. Após derrubar o rival, Caceres tentou a finalização com um mata-leão, mas o filipino escapou.

No segundo round, logo no início o árbitro interrompeu o duelo para uma avaliação médica nos olhos de Rolando Dy. A luta seguiu e o filipino chegou a mochilar Caceres, mas logo desistiu da posição. O americano perseguia o adversário no cage, e chegou a receber chutes baixos como resposta. Mas, durante o intervalo do segundo para o terceiro round, o médico avaliou que não dava mais para Dy continuar em ação.

Yuta Sasaki se recuperou da derrota para o brasileiro Wilson Reis em grande estilo no UFC Singapura. Depois de passar um verdadeiro sufoco no primeiro round e no início do segundo diante do americano Justin Scoggins, o japonês peso-mosca mostrou coração e tirou uma finalização com 3m19 do segundo round, quando fechou o mata-leão.

Desde o primeiro segundo de luta, Scoggins foi para cima do japonês e o derrubou, primeiro com um suplê. Sasaki resistiu e levantou, mas acabou no chão rapidamente de novo. O americano buscou as costas, e o japonês saiu, mas acabou golpeado na grade ao se levantar.

No início do segundo round, Scoggins acertou um chute rodado no abdômen de Sasaki, que caiu e se viu por baixo do rival. Mas, numa reviravolta, o japonês escapou, inverteu a posição e logo conseguiu as costas de Scoggins para encaixar o mata-leão e fazer o adversário bater para desistir.

Em Singapura, o chinês Li Jingliang emendou sua terceira vitória seguida entre os meio-médios no UFC ao vencer Frank Camacho por decisão unânime (29-27, 28-27, 29-27), atingindo um cartel agora com 13 vitórias e quatro derrotas. Agora, depois de sete lutas no Ultimate, começa a aparecer como candidato a lutar com adversários ranqueados.

Apesar da decisão na mão dos juízes, o triunfo poderia ter vindo por nocaute, tanto para um lado como para o outro. Em luta com franca trocação, Camacho foi superior no primeiro round conectando duros cruzados de direita, enquanto Jingliang resistiu o suficiente para levar a luta para o segundo round, inclusive quase conseguindo um mata-leão nos últimos segundos. Daí em diante, mesmo convivendo com o perigo da mão pesada do adversário, o chinês mostrou grande preparo físico para pontuar com diretos e chutes baixos. Camacho, no terceiro round, ficou apenas de pé e mostrou um queixo duro, resistindo à tentativa de nocaute de Jingliang.

Nada como um nocaute para colocar fim a uma série de quatro derrotas no UFC. O havaiano Russell Doane precisou de 4m09 para vencer o sul-coreano Kwak Ho Kwak no peso-galo, por nocaute técnico, ainda no primeiro round. Foi a 15ª vitória do lutador, que tem também sete derrotas no cartel.

O sul-coreano até começou mais efetivo no octógono, mas uma joelhada de Doane deu início à vitória. O havaiano viu que o adversário sentiu o golpe e foi para cima com boa combinação, e com um direto de direita derrubou Kwak, jogando uma série de golpes até o árbitro interromper.

A luta entre o japonês Naoki Inoue e o filipino Carls John de Tomas colocou dois estreantes do UFC como boas promessas para a divisão peso-mosca da organização. Mas, em Singapura, quem se deu melhor foi o japonês de apenas 20 anos, que mostrou um jogo de chão impressionante, mesmo sem conseguir a finalização diante do resistente rival. Inoue venceu por decisão unânime (triplo 30-26) e chegou a 11 vitórias na carreira, se mantendo invicto.

Depois de um início de luta intenso em que CJ de Tomas conseguiu acertar um bom cruzado de direita, derrubando o japonês, o filipino passou a ter que apenas se defender do jogo de chão de Inoue. Ao longo do restante do primeiro round e dos outros dois, a luta praticamente se desenhou no solo, com Inoue buscando a finalização principalmente com o mata-leão e o armlock. CJ de Tomas mostrou fôlego para não desistir da luta, mas não conseguiu mais ser efetivo para pontuar.

No peso-galo feminino, a tcheca Lucie Pudilova se recuperou da derrota em sua estreia pelo UFC e venceu por decisão unânime (triplo 29-28) a sul-coreana Ji Yeon Kim, que fazia sua primeira luta na organização. Foi a sétima vitória da lutadora, que ainda tem duas derrotas em seu cartel.
Pudilova venceu depois de levar vantagem no primeiro round, quando conseguiu conectar diversos jabs com a mão esquerda. No segundo, Kim encontrou a distância para a sua menor envergadura e conseguiu bons uppercuts para empatar a luta. Mas, no round decisivo, a tcheca foi mais efetiva e por duas vezes quase conseguiu finalizar a luta na guilhotina.

Veja também