(67) 99826-0686

São Paulo faz 2 a 0, se complica com expulsão de volante e empata com Ponte Preta

Equipe de Dorival Júnior segue na zona de rebaixamento com 24 pontos

10 SET 2017
Estadão
15h30min
São Paulo vencia, mas cedeu empate contra a Ponte Foto: Alex Silva - Estadão

Depois de estar vencendo por 2 a 0, com a chance de sair provisoriamente da zona de rebaixamento, o São Paulo teve o volante Jucilei expulso e cedeu o empate por 2 a 2 para a Ponte Preta, neste sábado, no estádio do Morumbi, na capital paulista, pela 23.ª rodada. Com o resultado, o time permanece na degola e pode ver os rivais se distanciarem neste domingo. No final, as vaias tomaram conta do Morumbi, que novamente teve bom público, com mais de 42 mil pessoas. O próximo duelo será outro confronto direto: o Vitória, em Salvador.

O jogo foi um retrato do drama vivido pelo time tricolor no torneio. Após a expulsão de Jucilei aos 18 minutos do segundo tempo, o São Paulo se descontrolou emocional e taticamente, não conseguiu segurar a vantagem e foi dominado pela Ponte Preta. Antes de ficar com um jogador a menos, o cenário era completamente diferente.

O técnico Dorival Junior fez a lição de casa nas duas semanas de pausa desde a derrota para o Palmeiras. A mudança de atitude anunciada foi traduzida por um time mais atento e mais dedicado à marcação. Funcionaram duas mudanças que o treinador testou: a improvisação de Éder Militão como lateral direito, deixando no banco de reservas os especialistas Buffarini e Bruno, e a entrada de Lucas Fernandes no lugar do peruano Cueva no meio de campo. Funcionaram não apenas neste sábado, mas indicam tendências para os próximos jogos. A lateral parece uma questão resolvida.

Dorival Junior já vinha ensaiando barrar o peruano faz tempo. A apatia no ataque e a falta de comprometimento na marcação justificaram a saída. O substituto Lucas Fernandes, cria do Centro de Formação de Cotia e que fez apenas a sua quarta partida como profissional, seguiu à risca as orientações táticas e acompanhou o lateral rival até a linha de fundo. Compensou as dificuldades que encontrou na criação com as finalizações, algo simples, prosaico, mas que era algo raro no jogo tricolor. Só no primeiro tempo, arriscou dois chutes perigosos.

A Ponte Preta conseguiu reeditar as boas atuações defensivas do Campeonato Paulista e dificultou muito a armação das jogadas do São Paulo. A bola ia e vinha, aumentando o porcentual de posse de bola do time da casa, mas só passava por zagueiros e volantes. A equipe de Campinas (SP) marcava bem, encaixotada no seu campo, mas abdicava do ataque. Com isso, nenhuma finalização dos dois lados até os 17 minutos de jogo.

O São Paulo forçava o jogo pelo lado direito, onde atuavam Eder Militão, Lucas Fernandes e Jucilei, mas não conseguiu fazer com que o goleiro Aranha sujasse o uniforme. Com Hernanes, as faltas marcadas na entrada da área estão voltando a ser um bom presságio para a torcida. Depois de marcar contra o Cruzeiro, outro jogo complicado, o meia criou a única grande chance do primeiro tempo e marcou aos 34 minutos. Em sete jogos, o meia fez sete gols. Parecia ter resolvido uma partida enroscada.

A Ponte Preta tentou jogar mais no segundo tempo com a entrada de Léo Gamalho no lugar de Elton. Um atacante no lugar de um volante. O time melhorou, mas sofreu um baque. Após uma falha de Aranha na saída do gol, o zagueiro estreante Bruno Alves fez o segundo gol do São Paulo. O jogador que substituiu o equatoriano Arboleda, suspenso, comprovou a sua fama de artilheiro - já havia feito quatro gols pelo Figueirense em 2017.

O lance que modificou completamente o jogo, transformando a vitória que parecia certa do São Paulo em uma situação dramática na luta contra o rebaixamento, aconteceu aos 17 minutos. Após uma disputa na área, Jucilei tocou a mão na bola. O árbitro carioca Marcelo de Lima Henrique assinalou pênalti e expulsou o volante. Na cobrança, Danilo diminuiu o placar: 2 a 1.

O controle emocional do São Paulo se esfarelou. Com um jogador a menos, o time mostrou todas as deficiências da segunda pior defesa do torneio. A partida se transformou em ataque contra defesa. Aos 29 minutos, Léo Gamalho empatou pelo alto. Acuado e sem saída, o time do Morumbi escapou de levar o terceiro gol e, depois de duas semanas de treinamento durante a pausa das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, não conseguiu achar um caminho para sair da zona de rebaixamento.

 

Veja também