TJMS SETEMBRO e outubro
Menu
quinta, 21 de outubro de 2021 Campo Grande/MS
senar 18/10 a 21/10
Algo mais

Ao som de pássaros e homenagens, show de meio século do Grupo Acaba marca noite histórica

Apresentação que vai virar DVD reuniu alguns dos maiores talentos de Mato Grosso do Sul

25 setembro 2016 - 11h07Por Amanda Amaral

A comemoração de 50 anos do Grupo Acaba, um dos principais expoentes da cultura sul-mato-grossense, aconteceu em grande estilo no Palácio Popular da Cultura, em Campo Grande, e vai virar DVD. Plateia e palco lotados mostraram que as canções de raiz que contam sobre o homem e a natureza do Pantanal não perderam a força durante meio século de estrada.

Em duas horas e meia de show, a Associação de Compositores do Bairro Amambaí, ‘nome completo’ do grupo que está sempre vestido de branco, recebeu amigos para dividir a maior parte da apresentação. Entre eles, Geraldo, Celito e Gerson Espíndola, Paulo Simões, Guga Borba, Lia Myo, Lenilde Ramos, Delinha, que receberam medalhas como uma simbólica troca de homenagem.

Nos telões, imagens do pantanal lembravam a essência do grupo, que tanto descreve homem, a fauna e a flora, e em nossas canções, a alegria das cores e as dores da raça pantaneira, conforme eles mesmos dizem. Além disso, houve espaço para escola de samba, pintura de telas ao vivo e apresentação de coral e dança por crianças.

Foto: André de Abreu

A noite também lembrou de algumas pessoas que fizeram parte da história dos músicos. Zezinho Charbel, integrante original do grupo que faleceu em maio deste ano foi lembrado com carinho e emoção, e estava representado nos palcos por seu filho mais velho, o também músico José Charbel Filho. Outros nomes foram citados, como Alex Fraga, Ciro de Oliveira, Délio, que fazia dupla com Delinha, Duran Pereira e Geraldo Roca, músico e compositor que faleceu há menos de um ano em Campo Grande.

Foi citada também a importante contribuição de Flávio Reis, um dos maiores expoentes na luta pela defesa do meio ambiente no Estado. Em Coxim, Reis realizou diversas atividades de apoio a comunidade, designando Sargentos e oficiais para ministrarem aulas nas escolas e oferecendo tratamento de saúde à população carente, além de ter sido o responsável pela fiscalização de Caça e Pesca da cidade. Em 1979, o mineiro de Rio Preto foi convidado a implementar e coordenar o Instituto de Controle e preservação Ambiental de Mato Grosso do Sul, o Inamb, norteando os trabalhos através dos princípios da legalidade e moralidade e, anos depois, coordenou o ‘Panelão’, projeto social que visava o fornecimento de cesta básica a população carente do Estado.

Coronel Flávio Reis. Foto: André de Abreu

Moacir Lacerda, compositor, percussionista e voz do Acaba, comparou a longevidade e vitalidade do grupo com a da banda britânica The Rolling Stones. “Nós começamos na casa da Vera (Gasparotto) às duas da tarde, e eles, às quatro, lá na Inglaterra. Por culpa do meridiano não somos mais velhos que eles, mas tudo bem!”, brincou o músico.

O DVD “Grupo Acaba & Amigos” deve reunir, além da apresentação, história do grupo e depoimento de familiares e amigos.

Vera Gasparotto. Foto: André de Abreu

Leia Também

Quintou: dia será de sol e calor em MS
Cidades
Quintou: dia será de sol e calor em MS
Estética Scalabrini será inaugurada na próxima semana com combos especiais
Geral
Estética Scalabrini será inaugurada na próxima semana com combos especiais
Cliente é acusado de roubo e denuncia constrangimento em mercado no Colúmbia
Campo Grande
Cliente é acusado de roubo e denuncia constrangimento em mercado no Colúmbia
Plenário da Câmara rejeita novo texto da 'PEC da Vingança'
Política
Plenário da Câmara rejeita novo texto da 'PEC da Vingança'