(67) 99826-0686

Ao som de pássaros e homenagens, show de meio século do Grupo Acaba marca noite histórica

Apresentação que vai virar DVD reuniu alguns dos maiores talentos de Mato Grosso do Sul

25 SET 2016
Amanda Amaral
11h07min
Foto: André de Abreu

A comemoração de 50 anos do Grupo Acaba, um dos principais expoentes da cultura sul-mato-grossense, aconteceu em grande estilo no Palácio Popular da Cultura, em Campo Grande, e vai virar DVD. Plateia e palco lotados mostraram que as canções de raiz que contam sobre o homem e a natureza do Pantanal não perderam a força durante meio século de estrada.

Em duas horas e meia de show, a Associação de Compositores do Bairro Amambaí, ‘nome completo’ do grupo que está sempre vestido de branco, recebeu amigos para dividir a maior parte da apresentação. Entre eles, Geraldo, Celito e Gerson Espíndola, Paulo Simões, Guga Borba, Lia Myo, Lenilde Ramos, Delinha, que receberam medalhas como uma simbólica troca de homenagem.

Nos telões, imagens do pantanal lembravam a essência do grupo, que tanto descreve homem, a fauna e a flora, e em nossas canções, a alegria das cores e as dores da raça pantaneira, conforme eles mesmos dizem. Além disso, houve espaço para escola de samba, pintura de telas ao vivo e apresentação de coral e dança por crianças.

Foto: André de Abreu

A noite também lembrou de algumas pessoas que fizeram parte da história dos músicos. Zezinho Charbel, integrante original do grupo que faleceu em maio deste ano foi lembrado com carinho e emoção, e estava representado nos palcos por seu filho mais velho, o também músico José Charbel Filho. Outros nomes foram citados, como Alex Fraga, Ciro de Oliveira, Délio, que fazia dupla com Delinha, Duran Pereira e Geraldo Roca, músico e compositor que faleceu há menos de um ano em Campo Grande.

Foi citada também a importante contribuição de Flávio Reis, um dos maiores expoentes na luta pela defesa do meio ambiente no Estado. Em Coxim, Reis realizou diversas atividades de apoio a comunidade, designando Sargentos e oficiais para ministrarem aulas nas escolas e oferecendo tratamento de saúde à população carente, além de ter sido o responsável pela fiscalização de Caça e Pesca da cidade. Em 1979, o mineiro de Rio Preto foi convidado a implementar e coordenar o Instituto de Controle e preservação Ambiental de Mato Grosso do Sul, o Inamb, norteando os trabalhos através dos princípios da legalidade e moralidade e, anos depois, coordenou o ‘Panelão’, projeto social que visava o fornecimento de cesta básica a população carente do Estado.

Coronel Flávio Reis. Foto: André de Abreu

Moacir Lacerda, compositor, percussionista e voz do Acaba, comparou a longevidade e vitalidade do grupo com a da banda britânica The Rolling Stones. “Nós começamos na casa da Vera (Gasparotto) às duas da tarde, e eles, às quatro, lá na Inglaterra. Por culpa do meridiano não somos mais velhos que eles, mas tudo bem!”, brincou o músico.

O DVD “Grupo Acaba & Amigos” deve reunir, além da apresentação, história do grupo e depoimento de familiares e amigos.

Vera Gasparotto. Foto: André de Abreu

Veja também