(67) 99826-0686
Camara - marco

Diogo Nogueira - a herança da nata do samba de volta a Campo Grande

MPB

22 NOV 2013
Vanessa Ricarte
06h00min
Diogo Nogueira. Foto: divulgação

O talento e o sorriso cativante é do pai. A beleza e os olhos azuis-esverdeados são da mãe. Neste sábado (23), Diogo Nogueira, nome forte do samba da atualidade, se apresenta em Campo Grande pela segunda vez, a partir das 23h no Ondara Palace Buffet. O cantor tem, além da ginga dos bambas do Rio, uma herança significativa na história da Música Popular Brasileira.

Filho de João Nogueira, ícone da MPB, Diogo nasceu no cerne do Clube do Samba, que existe há 34 anos no Méier, subúrbio carioca, localizado na zona norte da Cidade Maravilhosa. Sua mãe, Ângela Maria Nogueira o administra até hoje.

O pai morreu em 2000, mas seu legado continua vivo na voz de Diogo, impressionantemente parecida com a de João. A faixa de maior sucesso do cantor e compositor, "Espelho", lançada num compacto em 1977, ainda hoje emociona os fãs que relembram as lutas do cotidiano, as lembranças do pai falecido (avô de Diogo) e sua angústia em relação ao futuro - E o meu medo maior é o espelho se quebrar.

De pai para filho - Mais tarde, em 1992, João Nogueira lançou "Além do Espelho", música dedicada a Diogo. Ambos mantêm histórias de vida parecidas ao flertar com o futebol. João sonhava em ser jogador, mas não deu certo. Diogo chegou a defender o Cruzeiro de Porto Alegre quando sofreu uma grave lesão no joelho. No final das contas, pai e filho se renderam ao gênero musical mais popular do Brasil.

 

O espelho não se quebrou. Permanece intacto na carreira do artista, impulsionada pela renovação do samba no momento. É, indiscutivelmente, um dos sambistas mais jovens a ganhar a respeitabilidade dos maiores nomes da MPB - Chico Buarque, Alcione, Jorge Ben Jor, Zeca Pagodinho, Martinho da Vila, Paulinho da Viola, João Bosco, Beth Carvalho, Jorge Aragão, Seu Jorge, Fundo de Quintal, Leci Brandão, entre outros.

 


Ligação com MS

Cachopa Moreira, radialista, apresentador e autoridade do samba em MS, relembra sua admiração por João Nogueira e a importância de Diogo no samba de roda. "Fui convidado por João a ir ao Méier, bairro onde morava, comer um bacalhau especialmente feito para mim. Lembro do Diogo pequeno. Ele foi criado no meio dos grandes compositores e a veia artística permaneceu. A vinda dele a Campo Grande é muito importante para os caras que são amantes do João, pois ele era iluminado", conta com entusiasmo.

Cachopa revela que João Nogueira gostava de Mato Grosso do Sul e visitou 8 vezes o estado, uma delas especialmente para pescar em Aquidauana. Ele lembra a primeira vez que escutou Diogo Nogueira - "Estava numa loja de CDs e ouvi um lançamento em homenagem a João Nogueira que acabara de falecer. Quando estava na 12º faixa do álbum, ouvi Beth Carvalho cantando com Diogo. Não contive as lágrimas naquele instante."

João Nogueira fez amigos em Mato Grosso do Sul. A vinda de Diogo a MS pela quarta vez celebra o encontro de gerações que tiveram no samba, a vida contada através de suas melodias.

O samba na terra do sertanejo

Para Cachopa, o samba em MS permanece, apesar de a cultura local ser do sertanejo. "Para mim, sou do mesmo pensamento de Nelson Sargento, compositor da Mangueira - o samba agoniza, mas não morre. Quando tem Copa do Mundo, o que toca? Quando alguém passa no vestibular, também. O samba é o ritmo da alegria, pois arrebata as pessoas."

 

Diogo Nogueira vem a Campo Grande para lançar o quinto álbum da carreira, "Mais Amor". O show terá abertura da banda sul-mato-grossense de sambarock Dombraz. Os ingressos estão sendo vendidos no Stand Pedro Silva Promoções no 1º piso do Shopping Campo Grande. Para mais informações: (67) 3326-0105.

Veja também