(67) 99826-0686

Farsas são disseminadas na internet para enganar muitas pessoas

Hoax

11 MAR 2014
Renan Gonzaga
06h00min
Tanque de tubarões teria estourado dentro de um shopping no Kuwait. (Foto: Reprodução/Internet)

Desde a época do antigo Orkut, muitos usuários das redes sociais acabam “convivendo” com boatos que se espalham pela internet rapidamente. “Mudar a cor do Facebook”, “compartilhar foto para doar 5 centavos ao garotinho doente” e “fada verdadeira é encontrada morta em floresta” são algumas das farsas que comovem as pessoas.

Essas histórias (ou estórias) são conhecidas no mundo digital como “hoax”, palavra em inglês que significa embuste ou farsa. Nada mais é do que uma mentira elaborada que tem objetivo de enganar muitas pessoas, e a internet, claro, é o principal meio de proliferação dos vários hoaxes.

Existe até uma controversa sobre a origem da palavra. Alguns especialistas em etimologia afirmam que hoax deriva do termo hocus, usada na expressão “hocus pocus”, utilizada por mágicos durante os “encantamentos”. Na cultura popular, ela também é usada no sentido de enganar alguém com uma brincadeira ou “pegadinha”.


Turista no topo do World Trade Center. (Foto: Reprodução/Internet)


São várias as estratégias para enganar as pessoas. Alguns tipos de hoaxes são apenas boatos, com intenção de criar correntes e conseguir o maior número de visualizações, como se fossem um spam. Também existem aqueles mais “obscuros”, que tentam transmitir vírus pela web ou extorquir dinheiro dos mais desavisados.

Os mais populares são os que apresentam fotos e vídeos relacionados às lendas urbanas. Quem nunca viu na timeline do Facebook uma foto de um suposto extra-terrestres, OVNIs, sereias ou qualquer outro elemento que desperte a curiosidade das pessoas? Ultimamente, o mais disseminado é que o WhatsApp vai passar a ser pago caso o usuário não compartilhar um conteúdo específico.

DICAS PARA NÃO CAIR NO GOLPE

Desconfiar – Imagens mostrando uma atriz famosa pelada ou vídeos sobre a morte de algum cantor são exemplos de conteúdos suspeitos. O link pode direcionar o inocente usuário para algo assustador ou até mesmo instalar algum vírus no computador. A dica é controlar a curiosidade e desconfiar sempre.


Fada mumificada na verdade é uma "boneca" de um mágico. (Foto: Reprodução/Internet)

Checar a informações – Grande parte dos boatos são tão antigas que na maioria das vezes começou na época do Orkut, e basta uma pesquisa no Google para saber se a história é verdadeira ou falsa. Existem também alguns sites especializados em conferir essas histórias na Internet. Ler os comentários dos outros usuários antes de compartilhar qualquer conteúdo é sempre válido também.

Ter um bom antivírus – Mesmo os hoaxes sendo, na maioria das vezes, apenas histórias mentirosas, a prevenção é a melhor opção. É só instalar um bom antivírus em sua máquina ou smartphone, como o Avast e o AVG, que são programas gratuitos. Afinal, quando a curiosidade falar mais alto é muito importante ter proteção.

Veja também