Menu
Busca sexta, 06 de dezembro de 2019
Algo mais

Festival transforma Corumbá na capital cultural da América do Sul

Cultura, arte, música, teatro, cinema, artes plásticas, literatura, artesanato, palestras, tudo em um mesmo local

16 novembro 2019 - 08h31Por Vinícius Squinelo

Oficialmente, Corumbá é nesse fim de semana a Capital da América do Sul. Tudo isso é por conta da realização do Festival América do Sul Pantanal (FASP), que entra em 2019, na sua 15ª edição, proporcionando, cultura, arte, música, teatro, cinema, artes plásticas, literatura, artesanato, palestras e oficinas até amanhã.

Na primeira noite teve desfile de escola de samba, transformando rua em sambódromo, artesanato e gastronomia de países como Argentina, Paraguai, Peru e Bolívia, apresentação teatral e a música de Zezé di Camargo e Luciano. 

Segundo informações do site Diário Corumbaense, no palco Integração, na Praça Generoso Ponce, cada um dos homenageados foi lembrado pela contribuição à cultura de Mato Grosso do Sul: o escritor corumbaense, Hélio Serejo (in memoriam); o cantor e compositor Paulo Simões – autor (junto com Geraldo Roca) de uma das canções mais emblemáticas do Estado: “Trem do Pantanal”; o artista plástico Edson Castro, um dos expoentes das artes de Mato Grosso do Sul, atualmente radicado em Paris; a mãe de santo de Corumbá, Cacilda Gonçalves de Paula (falecida em 2000) e o coreógrafo, bailarino e gestor público, Joílson Silva da Cruz, que atualmente comanda a Fundação de Cultura de Corumbá. 

O prefeito Marcelo Iunes, destacou a importância do festival no cenário econômico do município. A estimativa é que o Festival movimente entre R$ 12 milhões e R$ 15 milhões em quatro dias de evento, com ocupação de hotéis e vendas em comércio, bares, e restaurantes, entre outros. 
“Eventos como esse reforçam a economia local. Os hotéis estão cheios. O comércio fica movimentado e o melhor, muitas famílias conseguem de forma direta e indireta ter uma renda extra, conquistada nesses quatro dias de evento em nossa cidade. E olha que temos ainda o Fegasa e o Pantanal Extremo, transformando Corumbá na capital da cultura, do esporte e da gastronomia”, falou Iunes ressaltando a  parceria entre Estado e Município na realização desses eventos.

O governador Reinaldo Azambuja, em seu discurso, agradeceu o setor privado que não mediu esforços para somar com a equipe organizadora do FASP. 

“Agradeço de forma especial aos patrocinadores, pois sem a ajuda deles não seria possível. Decidimos desde 2015 manter os festivais no Estado, uma persistência nossa, mesmo com a situação financeira que assola não só os estados, como todo o país. Sabemos que muitos estados paralisaram os festivais existentes, mas decidimos não só continuar, como também aprimorar e melhorar a cada ano. Temos aqui uma diversidade de cultura e ficamos muito orgulhosos de estarmos propiciando toda essa manifestação cultural em Corumbá e Ladário”, falou o governador.