TCE - Agosto
Prof Rinaldo
(67) 99826-0686
Gov - Agosto Lilas 09 a 24/08

As pessoas estão fazendo menos sexo? Má gestão do tempo pode ser o problema, revela especialista

"As pessoas trabalham até 12h , aí chegam em casa sem energia", destaca sexóloga

12 JUN 2019
Nathalia Pelzl
17h00min
Foto: Wesley Ortiz

Um relacionamento é conduzido por fatores como união, respeito, companheirismo e lealdade. Além disto, a questão íntima, através das relações sexuais, influencia no nível de intimidade e na manutenção de uma relação saudável.

Pesquisa realizada pela National Opinion Research Center, em uma Universidade de Chicago, nos EUA, revelou que 23% dos participantes não tiveram relação sexual no último ano, quase o dobro do número registrado há 10 anos, em 2008.

Ainda conforme a pesquisa, os jovens, em especial os homens, andam mais interessados em games e séries. Pessoas entre 16 e 44 anos declararam fazer sexo apenas uma vez na semana.

Para a sexóloga e educadora sexual Karina Brum, a explicação está na falta de organização da ‘gestão de tempo’.

“Enquanto sexóloga e educadora sexual posso te garantir, infelizmente, está faltando gestão de tempo. Nossa sociedade está muito corrida, as pessoas fazem planejamento para ter família, ter filhos, as mulheres podem engravidar mais tarde, só que, em determinado tempo, vem a pressa”.

A especialista reforça que, com o avanço da tecnologia e o custo de vida, as pessoas estão em busca de estabilidade financeira para depois focar nas relações.

“As pessoas tem consciência que, hoje em dia, para se manter uma família, é preciso e pensar em estrutura física e financeira e, às vezes, acabam esquecendo a estrutura emocional”, revela.

Karina pontua que, devido ao desgaste físico e emocional, as consequências são percebidas na hora das relações sexuais, gerando muitas vezes frustações.

“As pessoas trabalham até 12h , aí chegam em casa sem energia e as frustações vêm. Ambos cansados, vão fazer um sexo ‘meia boca’, apenas por fazer. O que escuto muito é: 'é o fisiológico, né Karina? Temos que fazer'. Se você se propor a fazer algo tem que ser qualidade. Me assusta em não pensarem em qualidade. Tem mulheres que hibernam sexualmente”, conta.

Sobre os jovens estarem fazendo menos sexo, ela reforça que pode ser por diversos fatores, como frustrações, remédios antidepressivos, nível de intimidade com parceiros, além do autoconhecimento.

“O jovem não sabe lidar com as frustações e, às vezes, por isso, foca em jogos e games. A mulher quer ter um parceiro que seja bom. Hoje em dia muitos tomam antidepressivos e ansiolíticos, que agem diretamente no campo libidinal, esse tipo de medicação interfere na parte do desejo. Visitas às sex shops e boutiques podem ajudar. Além disto, nível de intimidade, segurança, tem que ser íntimo com você mesmo pra depois com outro”, finaliza.

Veja também