TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
domingo, 26 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Comércio Delas

Mesmo tendo uma vida de princesa, Vivian resolveu ser dona de si e mudou a vida de outras mulheres

Desde criança ela já vendia as canetinhas no colégio e viu no Facebook uma forma de crescer e ajudar mulheres a serem independentes

08 março 2017 - 11h10Por Liziane Berrocal
Mesmo tendo uma vida de princesa, Vivian resolveu ser dona de si e mudou a vida de outras mulheres

Vivian, uma linda loira, aos 26 anos, formada em Ciências Sociais e Políticas e Direito virou empresária. Apesar de duas graduações viu na moda uma nova profissão criando a marca “Vivian Jorge”, que trabalha com bolsas e envia para todo o Brasil.

Ela seria apenas mais uma das guerreiras empreendedoras do nosso país, mas um dia, ela teve uma ideia. Criou um grupo no Facebook, até para alavancar as vendas, já que viu nas redes sociais mais um canal com as consumidoras. E assim ela criou o “Comércio Delas”, que hoje conta com 217 mil membros, o que representa 25% da população da Capital se formos falar em números.

“Foi pela necessidade, eu fazia duas faculdades ao mesmo tempo, uma de manhã e uma à noite e não tinha tempo de trabalhar, e tinha que ter um local que pudesse vender meus produtos, já que não poderia ser uma vendedora convencional fazendo duas faculdades, já que só o meio tempo da tarde eu tinha como fazer as vendas, e criei o grupo para isso, vendendo bolsas e roupas, no começo tinha umas 30 mulheres”, conta ela.

O grupo começou a crescer e “viralizou”. “Hoje, conseguimos 217 mil pessoas reunidas em um grupo de Facebook, onde elas tem possibilidade de se ajudarem de venderem as coisas, além disso, também tenho 127 mil seguidoras no Instagram”, contabiliza comemorando os números.

“A divulgação sempre foi o forte, e desde o início eu já sabia o meu foco, e sabia que tinha que trabalhar, meu pai sempre me mimou muito, mas eu tinha vergonha, mas pensava que alguém pagava por isso, e eu queria que eu pagasse pelas minhas coisas, ser independente, e com 19 anos comecei”, explica sobre o que moveu a cuidar de um grupo tão grande.

Outro ponto forte é que assim como ela, outras mulheres também mudaram a vida pelo comércio de produtos on-line. “Hoje o ‘Comércio Delas’ é uma referência, as mulheres me param, vem me contar dos problemas e contam que graças ao Comércio Delas elas conseguiram sair até de ciclos de violência vendendo as coisinhas delas, porque vendem pano de prato, peso de porta, fazem diárias, com centenas e até milhares de mulheres conseguiram independência financeira e se livrarem da violência. Trouxe uma nova expectativa de vida para muitas e isso é um orgulho para mim também”.

Histórias de mulheres emocionam por se livrarem da violência usando as redes sociais

Segundo ela, são centenas de histórias que emocionam. “Eu sou uma pessoa que sou gordinha, baixinha, diferente do que a sociedade espera da gente, e sempre coloquei minha cara a tapa. E acho que isso é ser um diferencial, não quero ser igual a todo mundo, não faço questão de ser uma cópia. Mas ao ver mulheres vencendo barreiras, que viraram empresárias após o comércio delas. Como a menina que vendia bombons lá no grupo e hoje entrega na cidade inteira, é de encher o coração de alegria, juntamente com centenas de pessoas”, conta.

Sem fins lucrativos, o grupo ainda tem outras moderadoras. “São dez meninas e dois meninos que me ajudam muito, que não posso esquecer deles, são organizados, capacitados, voluntários e assim vamos fazendo ajuda mútua. Há dificuldades de lidar com pessoas diferentes, muitas xingam quando tem brigas, já tive uns 30 a 40 fakes, porque isso causa inimizades, mas sempre vejo muito apoio de Deus no nosso trabalho”, garante.

E se você fosse homem por um dia?

Rindo, ela responde que se fosse homem por um dia, ela diz que “com certeza agiria muito mais respeito com as mulheres, mas acho que está mudando muito, porque hoje estamos vivendo num meio muito mente aberta. Quando comecei enfrentei machismo de uma mulher mesmo, fui tratada muito mal fazendo um orçamento. Com 19 anos, um metro e meio, falando da minha loja e ela riu questionando se eu tinha uma loja mesmo, como se eu não tivesse capacidade para ter uma loja, fiquei muito chateada, para baixo, me fez repensar muito, e vi que as pessoas têm que parar de julgar as outras como se não fossem capazes”, conta ela.

Educação seria a meta, caso tivesse a caneta na mão

Se fosse presidente, Vivian também acredita em uma das palavras mais importante para a vida. “Eu investiria em educação, porque acredito que as pessoas que recebem uma boa educação, preparação para a vida, vai acumulando e se tornando pessoas de sucesso, então investiria nisso. Eu daria muitos cursos de administração e empreendedorismo. A educação dá valor as coisas básicas, mas não dão valor a coisas que não nos encaixamos, como música, ser empreendedor, artes, onde há pessoas excepcionais que não tem a oportunidade de crescer. Eu desde criança já era empreendedora e talvez se tivesse sido incentivada também na escola já teria começado muito antes”.

A maior dificuldade de ser mulher?

E a maior dificuldade em ser mulher, é ainda ter que lutar por credibilidade. “Por exemplo, somos mulheres bonitas, chama a atenção onde chega, ou quando somos muito educadas os homens confundem isso, não acreditam muito no nosso potencial e levam por outro lado. Então, para mim é essa falta de credibilidade e como se a mulher não pudesse crescer. Me perguntam se foi meu pai que me deu a empresa, sendo que eu comecei a comprar um porta joias e fui vendendo, vendendo, e comecei a empreender investindo. Com as bolsas comecei com 13 peças, então, todas as mulheres são capazes”.

Para ela “mulher é a coisa mais perfeita que Deus inventou, porque ela consegue ser esposa, ser mãe, ser gentil, ser amável, ser responsável, ser tudo ao mesmo tempo, então sou uma fã de nós mulheres e somos capazes”.

Vivian, é tão comerciante nata, que ela não se faz de rogada. “Ah, e eu sempre quero divulgar meus produtos, aproveito cada oportunidade”, ri.

Então, o TOPMÍDIANEWS dá uma força também: A Vivian Jorge fica na Joao Akamine, nº  631 no bairro Santa Fé e o whats é: 981241280