(67) 99826-0686
ALMS 13/06 a 12/07

No sol forte e em traje social, Marcos vende água para se aproximar do sonho de cursar medicina

Falecimento da mãe e fé motivaram o rapaz a ajudar a matar a sede de quem passa por cruzamento movimentado no Centro

3 DEZ 2016
Amanda Amaral
15h00min
Foto: André de Abreu

No passo leve carregando uma bandeja com garrafas d’água e balas, enquanto o semáforo da Rua 14 de Julho indica a luz vermelha e impede o cruzamento de veículos pela Avenida Fernando Corrêa da Costa, no Centro de Campo Grande, o rapaz vestido de social chama atenção enquanto se movimenta e sorri. Simpático, Marcos Roberto Cunha, 24 anos, há um mês ganha a vida por ali vendendo água mineral gelada sob o forte sol de verão.

O traje, conta, é o diferencial que deu certo e, apesar do calor, a motivação para a correria segue firme para que o sonho de cursar a faculdade de medicina fique cada vez mais próximo. Cheio de fé, relata que há um mês sua mãe faleceu e que ela estaria orgulhosa de ver sua dedicação para ajudar a manter a casa onde hoje vive com a irmã no bairro Santo Amaro.

“Vou começar tudo de novo, parei no Ensino Médio. Eu não poderia desistir, jamais, ainda mais pensando na minha mãe. Até porque esse não era o sonho dela, né? Não é a vontade dela me ver triste, nem a vontade de Deus, principalmente. Deus nos deu vida e alegria pra gente viver do melhor jeito que der, seguimos na fé”, diz Marcos.

A rotina não é fixa, mas o fluxo é garantido na parte da tarde, entre 13h e 15h, exceto em dias de chuva. Hoje, ele faz a venda mínima de 50 garrafas ao dia, a R$ 2 cada. Na bandeja também oferece balas, com preço a partir de um real, para ter algum lucro.

Antes trabalhando como vendedor de lojas, Marcos conta que valeu a pena escolher ser seu próprio chefe e já pensa em chamar um ajudante para, nos mesmos moldes elegantes, expandir a venda para as ruas próximas. Enquanto conversamos, ele observa atento o estoque que deixa em um isopor cheio de gelo, embaixo de uma árvore.

“É uma necessidade básica de qualquer um, todo mundo precisa tomar água e, para não parar para comprar, ofereço a praticidade pra quem passa! O pessoal tem me recebido muito bem, porque abordo com muita educação também, tomara que continue dando certo assim” torce.

Veja também