Tribunal de Contas
(67) 99826-0686
Camara - marco

Móveis que marcaram época realçam decorações com requinte e praticidade

Retrô

7 NOV 2013
Ana Rita Chagas
06h10min
Foto: Geovanni Gomes

Depois de roubar a cena com roupas e acessórios, o estilo retrô volta a dar o ar da graça em diversos itens de decoração, e vão do mais simples ao mais sofisticado. A tendência não é modismo. Cada vez mais perceptíveis, os móveis antigos estão atraindo uma legião de adeptos que querem aliar funcionalidade e conforto, sem perder o padrão requintado do século 21. “ O retrô é uma releitura de móveis de família, que passaram de geração para geração. Eles se enquadram em qualquer situação e podem ser utilizados tanto para uma decoração em residência quanto para espaços em escritórios”, afirma o designer de interiores Cláudio Diniz.

Exposição

O design integra a lista de profissionais que participam da mostra “Morar Mais Por Menos" que começa nesta quinta-feira (7) e vai até 14 de dezembro, no Rádio Clube Cidade, em Campo Grande. Nos detalhes, distribuídos em um espaço aconchegante é possível fazer uma viagem no tempo por meio de nuances de objetos históricos, como por exemplo, o telefone de cor preta da década de 1920, que ajuda a compor um contraste delicado sobre uma mesa antiga de madeira. Ambos realçam a beleza de duas poltronas de cor marfim talhadas em madeira.  


Para compor o ambiente, Diniz ressalta a escolha de cores quentes, como o amarelo.  Segundo ele, a opção ajudou a destacar os objetos escolhidos, para contrastar com os itens de tons mais escuros. “Podemos individualizar cada  ambiente e ter uma característica própria. No retrô tudo pode ser utilizado, desde que seja com dosagem. Uma parede em tom amarelo cai bem com objetos de madeira, porque realça a decoração época. E como esses móveis têm tons escuros, o amarelo sobressai, isso deixa o ambiente moderno e sofisticado”, valoriza.

Mercado

De acordo com o designer, a tendência é reaproveitar espaços tendo o passado como inspiração, explorando diversas cores e elementos de décadas, “Todo mundo guarda um sapato ou uma roupa de que gosta muito. Às vezes ficam por anos em nosso armário e não saem da moda. Assim são esses objetos, cada vez mais estão tendo boa aceitação no mercado é uma ótima opção para quem quer investir. Foi o que fez o campo-grandense Flávio Benites, 36 anos. Há nove, morando em  São Paulo, ele decidiu abandonar a profissão de farmacêutico para assumir uma paixão antiga. Junto com o amigo Diego Passos, 26 anos, Benites apostou alto e investiu em uma loja virtual, especializada em decoração vitage. Segundo o empresário, a ideia surgiu nas andanças pelas ruas de "Sampa",  onde começou a observar pessoas que procuravam por itens que havia caído em desuso. “ As pessoas curtem conteúdo e não buscam apenas um produto, mas sim algo que ajudem na composição da própria estória de vida delas. Foi assim, por meio dessa percepção que  encontramos esta oportunidade”, lembra.
 

Na vitrine virtual, a procura  maior são por poltronas e luminárias, mas a seção composta por relíquias também faz sucesso. “Nossa seção de garimpo está em segundo, no ranking das mais visitadas, a galera adora pecinhas únicas. A procura é entre os clássicos e releitura das peças dos anos 50, 60 e 70, como exemplo a poltrona Vladimir Kagan, de 1957, criada pelo design alemão Vladimir Kagan. A Carreira de Vladimir Kagan já dura mais de sessenta anos. Ele começou a desenhar em 1946. Hoje suas figuras continuam liderando projetos criativos para hotéis, mobiliário e têxteis. A Luminária Fortuny, que neste ano completou 110 anos, é assinada pelo Espanhol Mariano Fortuny y Madrazo também segue a lista dos mais pedidos”, explica.
 

A origem faz a diferença na aquisição de um objeto. Conforme Flávio Benites, a referida luminária apresenta uma história que se conecta diretamente com o universo da moda. Mariano Fortuny y Madrazo, tornou-se conhecido pelos tecidos de luxo (até hoje em produção) e trajes que criou. O vestido Delphos, de 1907, inspirado pela indumentária grega, é considerado uma lenda e integra a coleção de importantes museus, como o MoMA, de Nova York.

A ousadia dos empresários vai ao encontro da estimativa feita pelo design Cláudio Diniz. “A moda retrô veio para ficar e isso está acontecendo em nível de Brasil. Em Campo Grande a recepção para esse tipo de mercado está sendo bem receptiva e a tendência é aumentar, porque há uma valorização em agregar móveis de família na decoração, como um berço que foi usado por um avô, também valoriza a decoração em um quarto infantil,” acrescenta.
 

Serviço

 Os objetos citados na reportagem podem ser encontrados na mostra “ Morar Mais por Menos”, no Rádio Clube Cidade. Já os móveis citados da loja virtual podem ser encontrados por meio do telefone: 11 3331-0600, na loja virtual DecoraGram.Net. 

Foto: Geovanni Gomes
Foto: Geovanni Gomes
Foto: Geovanni GomesFoto: Geovanni GomesFoto: Geovanni Gomes

Veja também