Menu
segunda, 26 de julho de 2021
PMCG REFIS 16 A 29/07
Algo mais

Sargento da PM de MS apresenta canoagem ao filho, que vira destaque nacional

Pai apresentou esporte ao filho, mas inversão causou até inspiração do policial em competir na categoria. "Satisfação do dever cumprido como pai"

11 julho 2021 - 09h30Por Vinicius Costa

A grande gratificação do pai com certeza é ver o filho bem-sucedido e bem encaminhado, seja em qual área atuar. Mas imagina como deve ser a sensação de apresentar uma situação e o rapaz pegar gosto pela coisa, e ser conhecido nacionalmente e quem sabe, internacionalmente? Pois é, o Sargento Balbuena, do 7º Batalhão de Polícia Militar de Aquidauana, conhece muito bem isso.

O policial militar foi o grande responsável por apresentar a canoagem ao seu filho, Edgar Silva Balbuena, de 19 anos, que representará o Brasil no Campeonato Mundial de Canoagem Maratona, que ocorre entre os dias 30 de setembro a 3 de outubro deste ano, na cidade de Pitesti, na Romênia. O jovem tem apoio do Governo do Estado, faz parte do Bolsa-Atleta e o material de treino é financiado pelo Fundesporte.

Conhecidos na cidade de interiorana de Mato Grosso do Sul, a família Balbuena vive destaques diferentes: enquanto o pai é militar há 14 anos, o filho avança cada vez mais para se tornar um fenômeno do esporte ao longo dos 6 anos de prática.

Mas o sargento garante, em entrevista ao TopMídiaNews, que não teve nenhuma influência sobre a decisão de colocar o filho no esporte, apesar de ser policial militar tem lá suas exigências esportivas. "De certa forma, a polícia militar influencia os seus integrantes a práticas esportivas".

O primeiro episódio dessa relação canoagem e polícia militar começou com a apreciação do pai pelo esporte nas margens do rio Aquidauana, na qual é possível encontrar vários adeptos a canoagem e várias dessas pessoas são amigas de Balbuena. Com isso, ele decidiu levar o filho para acompanhar um dos eventos que eram realizados no rio e foi nesse momento que viu Edgar se apaixonar pelo esporte.

"Num desses eventos, eu levei meu filho e ele tinha 13 anos, quando ele viu a primeira prova e se encantou pelo esporte". De acordo com o sargento, o filho tomou gosto no primeiro ano de aprendizagem e se destacou muito rápido. "Realmente tem aptidão para o esporte, principalmente na canoagem", garante o pai.

Como diz o bom e velho ditado, toda ação tem sua reação, Balbuena foi influenciado pelo filho a começar a praticar a canoagem também. "Fui praticamente forçado a aprender. Então temos esse elo de ligação", brinca o pai cheio de orgulho do filho.

Satisfação de pai

Desde o início, o Sargento Balbuena foi o tradicional pai que não exigiu nem um pouco dos seus filhos - além de Edgar, ele tem uma filha que cursa medicina veterinária - e deixou que os filhos optassem por escolher o melhor caminho.

Os dois filhos praticamente acompanharam a vida militar, apesar disso, o pai nunca quis influenciar na carreira adulta. "Deixei eles escolherem a carreira dele". Na canoagem, foi assim, embora ele mesmo tivesse apresentado indiretamente o esporte ao filho.

Mas mesmo neste sentido, o policial militar ressalta que no início não foi fácil pela falta de materiais de treino e até doações vieram de pessoas próximas para incentivar Edgar Balbuena a treinar e competir na categoria. "É bastante gratificante, principalmente para mim que sou pai, e para o pessoal que acompanhou desde o início a trajetória dele na canoagem".

A satisfação, no entanto, está nas alturas. "Satisfação do dever cumprido como pai. Buscar mostrar para o filho um caminho certo para ser percorrido na vida. Costumo dizer que a segurança pública se inicia dentro de casa", explica e ainda não esconde a alegria de incluir alguém tão importante na sociedade. "Primeiro como pai, depois como agente de segurança pública, incluo na sociedade uma pessoa de caráter", acrescenta.

Apoio psicológico

Contudo, toda essa alegria e satisfação ficaram bastante abaladas no ano passado, com a chegada da covid-19 e suspensão dos eventos esportivos no Estado. O Sargento Balbuena relembra que o filho ficou bastante desmotivado por receber várias propostas e ter garantido uma vaga no Campeonato Mundial de Canoagem, que aconteceria nos Estados Unidos, mas ir tudo por água abaixo com os cancelamentos devido à pandemia.

"Ele recebeu um convite para treinar no Centro da Seleção Brasileira, mas foi cancelado e isso abalou psicologicamente, ficando bastante desmotivado", lembra o pai. Mas o suporte familiar e o apoio psicológico parecem ter sido fundamental para superar essa barreira.

Depois que os eventos retornaram, o filho se concentrou nas atividades e mostrou bons resultados. "Quando recebeu essa convocação, é como se mudasse da água para o vinho, o psicológico mudou. De um atleta totalmente desmotivado, no momento que recebeu a convocação, passou a ser concentrado e treinar muito forte", disse, explicando que esse treinamento é coordenado por uma equipe técnica da Fundesporte.

Agora, bastante focado para competir mundialmente, Balbuena elogia o filho e se sente muito feliz com o desenvolvimento dele. "Segue bastante contente, motivado e pela rotina de trabalho, tenho fé que vai trazer bom resultado para o Brasil e para o MS".