TCE Novembro
Menu
domingo, 05 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
pmcg revia negocios
Algo mais

Sertanejo trilha mudança de vida de pedreiro que compôs mais de 100 músicas

20 maio 2016 - 08h00Por Amanda Amaral

No meio de uma rotina de trabalho que pouco lembra a tranquilidade necessária para fluir o processo criativo por trás de mais de 100 letras de canções, Marcos Roberto da Silva Nascimento, 44 anos, aparece em um corredor em construção para falar sobre o que lhe move o coração: a música. 

  

O pedreiro é dedicado na rotina de trabalho na obra e querido pelos colegas, e até quem já o conhece há certo tempo não imagina que enquanto ele não está pegando pesado entre tijolos e cimento, está elaborando as frases que sonha um dia serem cantadas por algum artista que admira. Os diferentes estilos de som e a escrita, principalmente vindos da forte influência do sertanejo de raiz, foram o impulso para uma guinada fora de problemas com depressão e bebida, que comemora estar a muitos anos afastado. 

Autodidata no violão, que ganhou do irmão no final da adolescência, Marcos se esforça para superar a timidez motivado pela chance de conseguir emplacar suas composições próprias na televisão ou rádio. Nasceu no interior de São Paulo, mas veio para Mato Grosso do Sul ainda muito jovem com a família, para viver em um pequeno sítio no município de Miranda. De lá pra cá, a vida deu muitas voltas e passou por Sidrolândia antes de fixar residência em Campo Grande.

Foto: Geovanni Gomes

A intimidade com o instrumento que embala suas composições é estreitada a cada ano, sempre na tentativa de reproduzir o som das músicas de seus ídolos, como Zezé di Camargo e Luciano e Milionário e José Rico. “Eu colocava o CD e aprendia ouvindo, pra depois fazer igual. Não tenho formação, estudo pra isso, mas gosto tanto que tento fazer do meu jeito”, conta.

Sua inspiração flui mais para criar as palavras cantadas do que o som que as embala, explica o próprio, mesmo já tendo se apresentado algumas vezes em bares e para amigos. Além disso, para poder mostrar seu trabalho de composição e quem sabe emplacar um sucesso na voz de alguém, se arrisca em frente às câmeras tocando suas próprias músicas. Com o apoio da esposa – que, aliás, é a primeira a ouvir cada nova criação – faz as gravações de maneira simples e honesta, na própria casa e sem muita edição.

Quando sobra um dinheiro no fim do mês, Marcos faz questão de registrar suas letras e sonha, um dia, ter seu talento comparado aos compositores Cesar Augusto e Elias Muniz. “Preciso valorizar o que eu crio, por isso mais de 40 letras eu já registrei em meu nome. Com sorte, alguém me vê e encontra algum potencial ali. Não tenho pretensão de ser famoso, ter dinheiro, porque a alegria pra mim é ver meu nome ali onde se escreve quem é o compositor”, diz, cheio de esperança e simplicidade no olhar.

Foto: Geovanni Gomes 

Para entrar em contato com Marcos, basta entrar em contato pelo número (67) 9269-7919. Confira abaixo de seus vídeos e, clicando aqui, acesse seu canal no YouTube.