MON PETIT FINAL 2023
Menu
sábado, 02 de dezembro de 2023 Campo Grande/MS
PREFEITURA DE CAMPO GRANDE NOVEMBRO 2023
ALEMS DEZEMBRO RECBANNER
ALEMS DEZEMBRO RECBANNER
Algo mais

Top Literário: Lovelace traduz em poemas o doce e amargo de ser mulher

Neste Dia do Poeta, conheça obras feministas com lições sobre empoderamento e autoestima, sem ignorar cicatrizes provocadas pela sociedade

20 outubro 2023 - 06h15Por Diana Christie

Neste dia 20 de outubro, quando é celebrado o Dia do Poeta, gostaria de falar de Amanda Lovelace, também conhecida como meu ‘guilty pleasure’ (prazer com culpa em tradução livre) em forma de poesia.

Autora de livros como ‘A princesa salva a si mesma neste livro’, Amanda traz poemas feministas com uma diagramação contemporânea, caracterizada por usar os espaços em branco da página para a construção estética e ignorar o uso de maiúsculas.

Ela costuma tratar, de forma intimista, assuntos como empoderamento feminino e valorização da autoestima, sem ignorar as dores e cicatrizes provocadas por uma sociedade machista e relacionamentos tóxicos, tanto amorosos quanto familiares.

‘A bruxa não vai para a fogueira neste livro’ é um belo exemplo de título clichê que eu faria piada nas redes sociais. Já penso no tanto de tatuagem ruim que dá para tirar dos textos da autora, até mais que O Pequeno Príncipe. Masssss... eu gosto!

Os poemas são curtos, com pouca ou nenhuma preocupação em criar metrificações, ou rimas elaboradas, e, muitas vezes, parecem frases-feitas criadas apenas para viralizar nas redes sociais. Entretanto, ao mesmo tempo, traduzem sentimentos que gosto de ver registrados.

por este instrumento concedo a mim mesma a permissão de não ser forte o tempo todo.

também concedo a mim mesma a permissão de não ser gentil o tempo todo.

estou autorizada a simplesmente ser.

– temperança.

(Quebre os seus sapatinhos de cristal)

Lovelace escreve muito do óbvio, mas aprecio essa capacidade de transformar sensações universais em palavras, levando vozes a batalhas que, muitas vezes, ficam restritas apenas ao campo das ideias.

É o tipo de obra que eu presentearia todas as minhas amigas e familiares para que elas pudessem se lembrar como são importantes e amadas do jeito que são. Leia Amanda Lovelace!