tjms 18/01 a21/01/2021
Menu
quinta, 21 de janeiro de 2021
dengue
Algo mais

Mãe vende rifas para custear exame de bebê com suspeita de macrocefalia

O bebê de 1 ano e 7 meses precisa fazer uma ressonância com sedação para um diagnóstico conclusivo

13 janeiro 2021 - 15h00Por Mariana Rodrigues

A recepcionista Carla Adriana dos Santos Ortiz, 25 anos, não mede esforços para ver seu filho, João, de apenas 1 ano e 7 meses, bem. A criança, que já passou por alguns exames, ainda não tem um diagnóstico conclusivo para o crescimento irregular da cabeça de João. A suspeita é de macrocefalia, mas é necessário um exame que custa R$ 2.500 para ter certeza do diagnóstico. 

Conforme informações da mãe, com quatro meses, ela percebeu que a cabeça dele era grandinha, foi então que ela pediu para o médico examiná-lo. O bebê fez um ultrassom, porém não dava para ter nada conclusivo e o médico achou que não era nada.

“A cabeça continuou a crescer e, com 1 ano, o médico realmente percebeu que era grandinha e encaminhou para neurologista”, conta Carla.

A neurologista examinou e sugeriu que poderia ser tumor ou hidrocefalia (acúmulo de líquido nas cavidades internas do cérebro). Ela pediu uma tomografia com contraste e sedação para confirmar.

De acordo com a mãe do bebê, a médica pediu para não esperar pelo SUS (Sistema Único de Saúde), pois demorava muito, então o exame foi feito de forma particular. “Como o exame é muito caro, começamos a fazer cachorro-quente beneficente, vender rifas e marmitas”.

João passou pelo exame e não deu nada grave, descartando o tumor e hidrocefalia, só que agora ele precisa fazer outro exame, ainda mais caro: uma ressonância com sedação. Segundo Carla, a médica avalia se a criança tem macrocefalia.

“Esse exame é muito mais caro do que a tomografia, então continuamos a vender a nossa rifa de antes e estamos pedindo ajuda de qualquer forma para fazer o mais rápido possível”. O custo do exame, conforme informou Carla, é de R$ 2.500, mas até o momento eles não conseguiram essa quantia com as vendas da rifa. Quem quiser ajudar ou tiver dúvidas é só entrar em contato com a Carla pelo telefone (67) 99284-2483.(WhatsApp)

 

Faça sua doação pela Vakinha, é seguro: