TCE Novembro
Menu
terça, 30 de novembro de 2021 Campo Grande/MS
ALMS - NOVEMBRO
Campo Grande

Crise: servidores da educação denunciam gestão autoritária de Bernal

28 maio 2016 - 13h49Por Rodson Willyams

Parece que a administração municipal comandada pelo atual prefeito Alcides Bernal, do PP, não sabe lidar com opiniões diferentes. Além da professora professora demitida simplesmente ter feito uma pergunta 'inoportuna' a Bernal, novas denúncias apontam para uma suposta gestão autoritária do prefeito.

Neste fim de semana, o TopMídiaNews recebeu um desabafo de uma mãe de aluno, que teve identidade preservada pela reportagem. Ela relata a insatisfação com a atual gestão e afirma que a Educação municipal está 'nas mãos de gente falsa e sem noção', e ainda lamenta o fato de 'um dia ter votado em Bernal'. As declarações atingem diretamente a administração do progressista, justamente em um momento que Bernal decide se irá, ou não, se candidatar à reeleição.

"Hoje o dia não foi fácil. Tive a certeza que nossa educação está em mãos de gente falsa sem noção do que faz, aliás, sabe sim, sabe agir de forma autoritária e em prol de si mesmo. Quem um dia gritou na greve cumpra a lei, hoje exonera diretores, acumulando cargos de chefia tudo pra garantir o seu, sem pensar no povo. Um dia votei no Bernal. E hoje paguei o alto preço do meu voto", desabafou a professora em uma rede social.

Em outro trecho, a mãe do aluno destaca a falta de alimentos para os alunos e a forma como a administração trata com 'hostilidade' ao atender solicitações da comunidade escolar. Além disso, ainda critica o atual prefeito e secretária municipal de Educação, Leila Cardoso Machado, afirmando que os dois dois 'nunca chegaram a pisar na unidade escolar'.

"Escolas sem reforma, sem fruta, sem verdura, sem funcionário para limpar, material pedagógico em falta, e uma hostilidade muito grande em atender a solicitação da Apm (Associação de Pais e Mestres) e comunidade. Nossa escola é exemplo, modelo e nunca vi o prefeito nos fazer uma visita, nem a secretária", relata.

E por fim, ela ainda se queixa sobre a merenda escolar. "Uma vez liguei para pedir alimentos, mandaram bolacha de águas e sal, sem noção nenhuma do que é uma escola de tempo integral. Mas as urnas irão falar, com fé em Deus e a nossa comunidade. #diasmelhoresvira#", finaliza.

De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura o desabafo seria de uma mãe da escola de tempo integral que estaria instaisfeita com a exoneração de uma diretora. A mulher em si não integra o quadro da Reme

No caso da professora de Educação Física, Rosalva Barbosa de Oliveira, de 40 anos, que trabalhava na Escola Municipal Plínio Barbosa há seis anos e na Eulalia Neto há quatro, não obteve qualquer explicação referente a sua demissão. A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa e recebeu a seguinte resposta: 'que o município não se envolve em casos pessoais de demissão como o da servidora'. Conheça a história completa aqui.

Outros casos de demissões

Em janeiro deste ano, o TopMídiaNews teve acesso ao inquérito referente a outro caso de demissão, da ex-servidora municipal Sônia Márcia de Lira Ramos, que entrou com uma ação judicial pedindo indenização por danos morais contra a prefeitura, após denunciar a má qualidade da merenda escolar oferecida nas creches de Campo Grande.

A professora ocupava a função de diretora no Ceinf (Centro de Educação Infantil) Cláudio Marcos Mancini, localizado no Bairro Vila Jussara, quando realizou as denúncias e, por causa da repercussão do caso, foi exonerada. Veja o caso completo aqui.

A prática também não é exclusiva na administração de Alcides Bernal, um fato semelhante aconteceu na administração do prefeito afastado Gilmar Olarte, do PROS. Relembre o caso

* Matéria editada para acrescimo de informações 14h42.