Menu
segunda, 17 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Campo Grande

Em situação de epidemia, prefeitura admite redução em limpeza na Capital

Crise

22 dezembro 2015 - 10h03Por Mariana Anunciação

Após denúncias da população criticando que a gestão pública estaria reduzindo a limpeza urbana de Campo Grande, ainda mais enquanto há necessidade de combater ostensivamente epidemias de dengue, zika vírus e chikungunya, a Prefeitura Municipal de Campo Grande se pronunciou por meio de nota, justificando a razão dos boatos sobre a diminuição dessa prestação de serviço.  

O esclarecimento divulgado pela assessoria de imprensa revela que não houve ordem de redução da área de limpeza urbana para a concessionária de limpeza e manejo de resíduos sólidos, CG Solurb Soluções Ambientais. Segundo a nota: "o que houve, devido à contenção de despesas, foi a diminuição da frequência da varrição e capina, sem prejuízos à limpeza da cidade".

É válido lembrar que a limpeza das calçadas é de responsabilidade dos moradores, com exceção de pontos do transporte coletivo, locais de grande circulação e situações extraordinárias. Mas, a prefeitura afirma que para complementar o serviço e ajudar no combate ao mosquito aedes aegypt, responsável pela transmissão de tais doenças, atualmente, há equipes em campo que estão agindo nas sete regiões da cidade. O foco é fazer a varrição, capina, pintura de meio fio e outros serviços de limpeza urbana.

Neste momento, é de suma importância que todos colaborem para evitar a proliferação do mosquito, tendo o máximo de cuidado com a água parada, lixo e evitar o depósito em locais impróprios. É importante salientar, que um simples copinho jogado no chão pode se tornar criadouro do mosquito. “Se todos fizerem a sua parte, inclusive a empresa CG Solurb, Campo Grande superará mais esta epidemia”, destaca a prefeitura.