TCE JUNHO 2022
PREF MARACAJU JUNHO REFIS 2022
Menu
quarta, 29 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
Campo Grande

Empresários e profissionais de educação física pressionam prefeito por reabertura de academias

O objetivo é criar um plano para evitar o contágio do covid-19 sem quebrar o setor economicamente

14 abril 2020 - 11h56Por Diana Christie e Willian Leite

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) recebeu, nesta terça-feira (14), empresários e profissionais de educação física para debater a reabertura das academias em Campo Grande. O objetivo é criar um plano para evitar o contágio do covid-19 sem quebrar o setor economicamente.

Segundo o CREF11 (Conselho Regional de Educação Física), em Mato Grosso do Sul, são 9.483 profissionais de educação física habilitados, dos quais 4.955 estão na Capital. Ainda, são 1254 academias em todo o Estado, das quais 718 são na Cidade Morena.

Presidente do CREF11, Joacir Lima de Oliveira Junior, diz que o setor se uniu e criou um plano de contenção de risco, entregue para a prefeitura, logo depois que as academias foram fechadas no início do mês. Ele reclama que o pedido foi ignorado pelo município e destaca que a intenção não é aglomeração das pessoas, mas garantir a produção de vitamina D, que fortalece o sistema imunológico das pessoas.

Representando os empresários, Adelaido Vila, presidente da CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas), enfatizou que muitas pessoas que precisam trabalhar estão sem renda alguma e muitos empresários estão fechando as portas. Chegou até a citar um caso de suicídio, de um comerciante que se endividou durante o período.

Marcos Freire, empresário e dono de uma academia, enfatiza que a intenção é flexibilizar as regras e abrir algumas modalidades como o atendimento personalizado, seja na rua, nos parques, ou em casas. Nada que envolva aglomerações deve ser retomado.

O prefeito solicitou um novo plano de biossegurança e garantiu que vai avaliar o que pode ser feito. Trad complementa, ainda, que acredita na medicina e busca o equilíbrio entre a preservação da vida e a economia da Capital. “Se não pode com eles, tente se aliar a eles”, resume.

Por fim, Marquinhos reforçou que a prefeitura está pensando em todos, tanto que perdeu entre 40% a 50% da receita com o fechamento do comércio e medidas de desoneração da população. Prometeu ainda corte de gastos, com fim de gratificações e penduricalhos, e que vai fazer tudo que estiver em seu alcance para não demitir.