TJMS JANEIRO
Menu
sábado, 22 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Campo Grande

Ex-secretário de Olarte tenta atrapalhar prestação de contas de Bernal

16 setembro 2015 - 11h30Por Rodson Willyams e Dany Nascimento

O ex-secretário de Finanças do prefeito afastado Gilmar Olarte (PP por liminar), André Scaff, que participa da prestação de contas feita pela equipe do atual prefeito Alcides Bernal, do PP, na Câmara Municipal, interrompeu a apresentação para contestar algumas situações que foi exposta pelo sucessor de pasta, Disney de Souza.

Segundo o ex-secretário, uma declaração feita pelo atual secretário de Finanças e Receita de Bernal sobre o 13º salários dos servidores municipais seria equivocada. Disney afirmou que encontrou nos cofres da prefeitura apenas R$ 104 mil na conta, ao invés, dos R$ 60 milhões que a prefeitura precisa para pagar os servidores até dezembro.

"Nós estávamos tentando arrecadar desde o início do ano, mas as coisas começaram a apartar e dinheiro foi usado para pagar os servidores", afirmou Scaff, que é servidor da Câmara Municipal. O ex-secretário não teve problemas para interromper a apresentação da equipe de Alcides Bernal.

André ainda rebateu o atual secretário:"Toda vez que foi apresentar um dado assim, tem que buscar saber sobre o que aconteceu neste período, para só depois ser falado. Tinha alguns vereadores que falavam que a prefeitura tinha dinheiro, quando na verdade não tinha. Então, tudo precisa ser apurado", comentou.

A vereadora Luiza Ribeiro, do PPS, que acompanha a prestação de contas também interrompeu e disse que os vereadores não afirmavam que havia 'dinheiro escondido'. "Nós nos baseávamos nos dados que a prefeitura nos apresentava. Em nenhum momento falamos que tinha dinheiro escondido. Apenas falávamos por meio dos números que tínhamos acesso, até porque não tinha dinheiro escondido, e sim um descontrole nas despesas, um dinheiro que foi mal investido".

Em outro momento, Scaff novamente voltou a interromper, quando Disney mencionou a queda no saldo financeiro deixado por Olarte. "É preciso mostrar dados antigos para poder entender que as despesas foram aumentando porque a cidade cresceu e que a arrecadação diminuiu, como por exemplo, o IPTU. Há todo um histórico que precisa ser considerado. Não estou aqui para atrapalhar, mas para ajudar", se justificou.

O prefeito Alcides Bernal foi à Câmara para relatar a saúde financeira de Campo Grande e mostrar o déficit que a prefeitura já possuiu em setembro de R$ 158 milhões e que irão avançar no próximo mês.