Menu
segunda, 25 de outubro de 2021 Campo Grande/MS
Campo Grande

No limite do prazo, Bernal desconversa sobre o 13º salário e pressiona TJ

Prefeito deve se reunir com desembargador para solicitar, novamente, liberação de verba para pagar servidores

19 dezembro 2016 - 19h00Por Amanda Amaral

Termina amanhã (20) o prazo legal para que a Prefeitura Municipal de Campo Grande efetue o pagamento do 13º salário dos servidores públicos do município, mas ainda não há resposta ‘firme’ do prefeito Alcides Bernal (PP) sobre o assunto. Conforme o chefe do executivo, o depósito de R$ 28 milhões para mais de 20 mil servidores depende de liberação judicial.

A questão, segundo Bernal, deve ser tratada amanhã em reunião com o desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, João Maria Lós. O valor está depositado em conta judicial, não podendo ser utilizado pela administração municipal para o 13º salário, que totaliza despesa de R$ 80milhões.

Anteriormente, o prefeito desconversou sobre os motivos exatos da dificuldade para concluir os pagamentos, mas citou alguns entraves na questão das finanças públicas. Bernal diz que há dez meses a Justiça bloqueou as contas da prefeitura e retém 20% dos repasses do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) e do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços), além de obrigar o município a depositar ao TRT (Tribunal Regional do Trabalho) R$ 4 milhões, para garantir o pagamento à Solurb.

“Somado ao que foi retido, pagamos à Solurb R$ 125 milhões só nos últimos dez meses. Entramos com petições para tentar a liberação desses valores, todos os dias batalhamos na Justiça. Entramos na prefeitura com esse rombo de um bilhão, trabalhamos desde então para colocar as contas em dia”, disse.

A assessoria de imprensa do chefe do Executivo chegou a confirmar que o 13º dos servidores municipais está garantido e seria depositado no dia 20 de dezembro. No início do mês, Bernal afirmou que garantiria um 'natal mais feliz' para os mais de 20 mil servidores públicos, o que exige um total de R$ 100 milhões, mais impostos, dos cofres públicos.

O presidente da Associação Comercial de Campo Grande (ACICG), João Carlos Polidoro, diz aguardar com ansiedade pela posição do prefeito. “Já falei com o prefeito e ele me deu até o dia 20 para definir o que será. É uma expectativa alta, porque serão milhões investidos daqui, aqui na Capital”, explica.

Leia Também

Com estoque para 3 dias, Humap precisa de doação urgente de leite materno
Campo Grande
Com estoque para 3 dias, Humap precisa de doação urgente de leite materno
Jovem que matou namorada no trânsito alega ter filho autista e juiz devolve CNH
Campo Grande
Jovem que matou namorada no trânsito alega ter filho autista e juiz devolve CNH
Maioria reprova trabalho da Energisa durante apagões em Mato Grosso do Sul
Cidades
Maioria reprova trabalho da Energisa durante apagões em Mato Grosso do Sul
Coletor de lixo é visto por empresário e vira modelo de loja para noivos
Geral
Coletor de lixo é visto por empresário e vira modelo de loja para noivos