Menu
terça, 07 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
CONSTRUINDO O SABER 29/11 A 29/12
Campo Grande

Prefeitura repassa R$ 316,8 mil para ex-creche de tia de Alcides Bernal

05 maio 2016 - 10h16Por Diana Christie

A prefeitura de Campo Grande celebrou um convênio com a Associação de Pais e Amigos da Creche e Pré-Escolar Flamingos para repasse de recursos do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e da Valorização dos Profissionais da Educação) no valor de R$ 316.883,40.


Conforme extrato publicado no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) nesta quarta-feira (4), o dinheiro será utilizado “para a execução de despesas de custeio realizadas ou a serem realizadas na Educação Infantil, de acordo com o Plano de atendimento/PA aprovado”.


O contrato terá vigência de 10 meses, contados a partir da liberação da 1ª parcela. Assinam o convênio, celebrado em 3 de maio, a secretária municipal de Educação Leila Cardoso Machado e Mariene Auxiliadora Oliveira da Silva. Os recursos são da fonte 23.

Foto: Reprodução/Diogrande


Integrava o quadro de servidores do Ceinf (Centro de Educação Infantil) Flamingos a professora Maria Nely Urbieta Bernal, tia do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP). Ela era uma das nomeadas através do convênio com a Omep (Organização Mundial para Educação Pré-Escolar) e Seleta (Seleta Sociedade Caritativa e Humanitária), que está sendo questionado judicialmente.

Segundo o Ministério Público Estadual, a servidora, que pediu demissão após a repercussão do caso, foi admitida em 7 de outubro de 2015 para uma função administrativa pelo salário de R$ 3 mil mensais. Além dela, o órgão exige a demissão de mais 4,3 mil funcionários. Leia mais aqui.

”Ao invés de cada unidade de trabalho haver pessoas de diversos nomes, colocaram pessoas em ordem alfabética. Triste conduta. Na Afragel, na Casa De Abrão, Casa Lar Lions, Casa Vovó Ziza, por exemplo, só se contratam pessoas com letra inicial 'A'... Na Ceinf Clotilde Chaia só se contratam pessoas com letra inicial 'C'... No Ceinf Floria Britez De Eugenio só se contratam pessoas com a letra inicial 'D'”, denuncia o promotor Fernando Martins Zaupa, da 29ª Promotoria de Justiça de Campo Grande.