Menu
terça, 07 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
ALMS - NOVEMBRO
Campo Grande

Professores fecham trégua com Bernal e agora 'apertam' vereadores

16 março 2016 - 13h10Por Anna Gomes

Os professores da Reme (Rede Municipal de Ensino) prometem fazer uma manifestação na Câmara Municipal nesta quinta- feira (17), em Campo Grande. A intenção é buscar ajuda dos vereadores para que o prazo de 40 dias, estabelecido pelo prefeito Alcides Bernal (PP) para apresentar uma proposta para a categoria, diminua, pelo menos, pela metade.

"Amanhã, às 9h da manhã, vamos conversar e buscar o apoio dos vereadores. Até agora buscamos um acordo, mas nada foi apresentado", disse o presidente da ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública), Lucílio Nobre.

A classe aceitou o prazo estipulado pela atual gestão da prefeitura, mas pretende pressionar a Câmara Municipal para reduzi-lo ao invés de questionar o braço direito de Alcides Bernal, secretário Paulo Pedra (PDT), que sempre procurava apoiar os professores durante a longa greve do ano passado. Pedra, inclusive, cansou de criticar a gestão de Gilmar Olarte (PP), dizendo que a prefeitura tinha sim dinheiro e que o município 'não queria pagar'.

Mesmo assim, o presidente da ACP relatou que Bernal conversou sobre o assunto na última reunião. "No último encontro colocamos todas as ideias em pauta, cobrando uma posição da prefeitura, inclusive que eles apoiavam a categoria, mas não estavam entrando em um acordo. O prefeito relatou que, quando voltou à frente da prefeitura, havia um grande rombo no caixa e ele não podia resolver nossos problemas", disse.

Alguns meses se passaram desde que Alcides Bernal voltou ao gabinete da prefeitura, em agosto de 2015, mas a categoria que a atual administração tanto apoiava durante a greve que durou 77 dias, ainda quando Olarte era prefeito da Capital, não fez nada e os professores ainda buscam o reajuste salarial.

Desde o ano passado, os professores lutam pelo cumprimento do reajuste salarial da categoria, previsto em Lei Municipal e Federal, que até hoje não foi pago aos 3,2 mil profissionais da Reme. A porcentagem determinada em 2015 foi de 13,01%, mais o novo reajuste deste ano, de 11,36%, determinado em janeiro pelo Ministério da Educação (MEC).

Por maioria de votos em assembleia geral realizada em fevereiro, os professores decidiram cobrar o reajuste de 11,36% em maio, data base da categoria, junto ao pagamento de metade do reajuste de 2015, ou seja, 6,505%. A outra parcela, também de 6,505%, seria paga em outubro, somando então os 13,01%.

Na manhã de hoje, como aconteceu ontem, os professores novamente fizeram uma passeata pelas principais vias de Campo Grande. Nesta quinta-feira, eles percorreram as ruas Rui Barbosa, 14 de julho, 13 de maio e fizeram um ato na Avenida Afonso Pena, onde reivindicaram seus direitos.