TCE Novembro
Menu
terça, 07 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
pmcg revia negocios
Campo Grande

Obstetras e neonatologistas realizam encontro pela valorização de profissionais da saúde

17 março 2016 - 16h04Por Anna Gomes

Começou nesta quinta-feira (17), o primeiro encontro obstetras e neonatologistas [que cuidam de recém-nascidos] de Mato Grosso do Sul. O evento, que acontece no auditório do bloco V da Uniderp Matriz, tem como tema políticas públicas e a valorização do profissional.

Com o auditório lotado, a mobilização busca resgatar o respeito, a dignidade e a valorização dos profissionais. Enfermeiros, obstetras, neotologistas, técnicos e auxiliares de enfermagem, estão com uma programação onde hoje e amanhã vai acontecer várias discussões sobre os profissionais da área.

Representantes da Abenfo (Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras), representantes do Cofen (Conselho Federal de Enfernagem), também estavam presentes. Hoje pela manhã, os profissionais fizeram cadastramento onde vão assistir duas palestras, a tarde e amanhã as atividades continuam.

Segundo Sonia Solange, presidente da Abenfo/MS (Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras) o evento é para dar atenção principalmente as enfermeiras obstetras que são profissionais com especialização na área. Estão habilitadas para atender os partos normais, mas não para realizar cirurgias cesarianas.

"É importante a enfermagem fortalecida. A nossa luta é que melhore a qualidade de trabalho, às vezes fazemos um parto, mas quem acaba recebendo é o médico, queremos valorização e temos humildade que se existir complicações transferir a paciente para um médico", disse.

O Ministério da Saúde tem incentivado a formação dessas especialistas e sua contratação por hospitais públicos para o atendimento aos partos de baixo risco. Nas casas de parto elas que são responsáveis por todo o atendimento.

Conforme Ana Patricia Ricci, conselheira do COREN-MS (Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul) alerta que a questão das obstetras receberem pelo parto feito, está causando problemas com os médicos.

"A maioria dos partos normais sem riscos são as enfermeiras obstetras que fazem, mas quem recebe é o médico. Apoiamos as profissionais", lamenta.