TJ BANNER JUNHO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
sábado, 25 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Campo Grande

'Quero esses monstros na cadeia', diz mãe de adolescente em protesto pela morte do filho

Amigos carregavam cartazes temendo impunidade em caso de jovem agredido em lava jato

18 fevereiro 2017 - 10h15Por Thiago de Souza

Familiares e amigos do adolescente Wesner Moreira,17, morto na terça-feira (14), em consequência de agressões sofridas com um compressor de ar, atenderam o último pedido dele e foram às ruas cobrar justiça para o caso. O protesto, marcado por muita emoção e revolta,  reuniu cerca de 35 pessoas na Praça Ary Coelho, na manhã deste sábado, em Campo Grande. 

A mãe de Wesner , Marisilva Moreira, 44 gritava por justiça o tempo todo e muito emocionada precisou de amparo dos familiares. 

''Meu filho perdoou os assassinos, mas pediu justiça. Então vou aonde tiver que ir eu vou para colocar esses monstros na cadeia. Se precisar vou até em Brasília'', prometeu a mãe. 

Moreira relatou durante o protesto que os dois responsáveis pela morte do filho acabaram com a vida dela e da família. ''Quero olhar nos olhos deles [suspeitos] e perguntar: o que o meu filho fez pra vocês?'', questionou. 

(Parentes pediam justiça para os culpados pela morte de Wesner - Foto: Thiago de Souza)

Amigos e outros familiares carregaram cartazes cobrando justiça e fotos do garoto. O pedido era a prisão dos responsáveis pela agressão, cuja prisão foi negada na noite de ontem pelo juiz do caso, Carlos Alberto Garcete de Almeida, que entendeu não ter elementos para colocar os dois na prisão. 

Após se reunirem no centro da praça, o grupo se dividiu e se colocou no cruzamento das ruas 14 de Julho com a Avenida Afonso Pena para mostrar os cartazes enquanto o semáforo estava fechado. Além da mãe, adolescentes amigas de Wesner também choravam muito. 

A prima de Wesner, Patrícia Brites era uma das mais enfáticas durante a manifestação. Sobre a recusa no pedido de prisão dos acusados, ela lamentou profundamente a decisão. ''Se os dois ficarem soltos vão abrir outro comércio em algum lugar e as brincadeiras vão continuar'', estimou. 
Brites também comentou que vai lutar com todas as forças para ver os suspeitos na cadeia. ''Deus há de preparar um juiz que vai colocá-los na prisão e fazer justiça'', comentou. 

(mãe de Wesner (direita) recebeu carinho de pedestres na Praça Ary Coelho - Foto: Thiago de Souza)

O protesto contra a impunidade para o caso, que chocou a cidade pela agressividade do que foi considerada pelas autoridades como 'brincadeira de mau gosto', atraiu desconhecidos da família que abraçaram a mãe de Wesner para confortá-la. Após um abraço apertado, uma mulher disse a Marisilva: ''Estamos lutando até no pensamento e vou continuar orando pela senhora''. 


('Justiça' era mensagem passada para motoristas no centro da Capital - Foto: Thiago de Souza)

''Com 81 anos eu nunca vi isso na vida'', comentou Carlindo Bento Feitosa, que acompanhou o manifesto na Praça Ary Coelho. Ele também lamentou a dor vivida pela mãe da vítima. ''É uma cicatriz que nunca vai fechar. Que Deus ilumine a família porque não deve ser fácil'', disse o aposentado. 

Questionado se o que ocorreu foi uma brincadeira de mau gosto ou um crime, Carlindo foi enfático: ''aquilo é bandidagem,  brincadeira é outra coisa. Onde já se viu explodir um garoto com uma máquina daquelas''.