Menu
domingo, 28 de novembro de 2021 Campo Grande/MS
CAMARA - vacinaçao
Campo Grande

Semana chuvosa derruba árvores na Capital e 'friozinho' deve permanecer até sexta-feira em MS

Conforme o Inmet, em Campo Grande deve chover quase todos os dias desta semana

17 setembro 2018 - 09h24Por Anna Gomes

A semana já começou chuvosa em praticamente todas as cidades de Mato Grosso do Sul. Segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), a chuva deve permanecer no Estado durante quase todos os próximos dias.

Em Campo Grande, ainda de acordo com o Inmet, a previsão é de chuva durante toda semana. Hoje (17), as pancadas são mais fortes, mas deve dar uma amenizada amanhã (18), que apesar de nublado, deve chover apenas no período da tarde, fato que muda na quarta-feira (19), já que a hipótese é de ter até trovoadas na ‘Cidade Morena’. 

Na Capital, as temperaturas devem ficara amenas oscilando de 19°C a 30°C durante todos os dias desta semana.

Na segunda maior cidade de MS, em Dourados, a previsão também é de chuva durante todo dia de hoje, mas amanhã, o tempo muda e conforme o Inmet, apesar de nublado, não deve chover nos outros dias.

Em Coxim, no norte do Estado, a segunda-feira também segue chuvosa e mesmo com o calor que nesta semana vai fazer na cidade, a previsão para o município é céu nublado nos próximos dias. A mínima é de 24°C e a máxima pode chegar aos 37°C na próxima quarta-feira (19).

Já na região do Pantanal, em Corumbá, mesmo com a segunda-feira chuvosa, a hipótese é ter uma trégua nos próximos dias, voltando a chover só na sexta-feira (21). A temperatura na ‘Cidade Branca’ oscila entre 20°C e 35°C.

Estragos

A equipe de reportagem do TopMídiaNews entrou em contato com a Defesa Civil para saber se houve algum estrago causado pela forte chuva que cai nesta segunda-feira. Conforme o órgão, ainda nenhum grave dano foi levantado. “O solo estava muito seco e por isso ainda não aconteceu nenhum alagamento”, explicou o Tenente Royal.

De acordo com Corpo de Bombeiros, algumas quedas de árvores foram registradas, mas tudo já está normalizado, segundo os militares.