tce janeiro
CNH - MOTO
Menu
sexta, 28 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Campo Grande

Setembro é o mês mais violento do ano no trânsito de Campo Grande

30 setembro 2015 - 18h19Por Amanda Amaral

Setembro acaba nesta quarta-feira (30), e já é considerado o mês com mais mortes em decorrência de acidentes de trânsito de 2015 em Campo Grande. Do primeiro dia do mês até hoje, 15 pessoas não resistiram a ferimentos de quedas e colisões envolvendo veículos nas ruas da cidade. Desses, dez eram motociclistas, dois condutores, dois ciclistas e um pedestre. O segundo mês mais violento foi julho, com 11 mortes.

O mês também ultrapassou as estatísticas para setembro registradas nos últimos três anos de levantamento. No ano passado, foram registradas oito mortes, enquanto em 2013 foram sete e, um ano antes, doze. O número só se aproxima ao contabilizado em 2011, com 13 vítimas fatais no nono mês do ano.

Do início do ano até agora, já são 64 mortes, sendo que 34 delas foram constatadas no local do acidente e 30 em até um mês depois do ocorrido. A contagem considera esse período por orientação da Organização Mundial da Saúde.

Os números fazem parte do levantamento para o Placar da Vida, do programa Vida no Trânsito, coordenado pelo Ministério da Saúde. O preenchimento desta tabela é feito desde 2011, combinando dados coletados diariamente pelo Batalhão de Policia Militar de Trânsito, Agência Municipal de Transporte e Trânsito, Santa Casa de Campo Grande e outros hospitais.

Santa Casa

Somente na Santa Casa, maior hospital de Mato Grosso do Sul e local que mais recebe vítimas deste tipo de ocorrência na Capital, foram feitos 455 atendimentos até o dia 27, último domingo o mês.

Nos finais de semana, especialmente, o pronto-socorro da unidade fica lotado de pacientes à espera de atendimento por terem sofrido algum tipo de acidente de trânsito. Somente entre janeiro até o último dia de agosto, foram atendidas 4.304 vítimas.

Três vítimas fatais em quatro dias

Um acidente entre motocicleta e bicicleta causou a morte do ciclista Ronaldo Fiuza Z. Antunes, de 33 anos, na noite desta terça-feira (29). A colisão aconteceu na Avenida Gury Marques, em frente ao Fort Atacadista, em Campo Grande. O nome do condutor da moto, que foi encaminhado à Santa Casa em quadro estável, não foi divulgado.

De acordo com o delegado plantonista da Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do Piratininga, Hoffman D'Ávila  Candido e Sousa, o caso foi registrado como homicídio culposo na direção, quando não há intenção de matar. A vítima, que estava na bicileta, percorria a avenida ao ser atropelada por um motociclista e lançada a aproximadamente 10 metros de distância do ponto do acidente. Ele chegou a ser atendido por equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no bairro Universitário, onde acabou falecendo.

Na noite da segunda-feira (28), um acidente na Avenida Tamandaré vitimizou o jovem Lucas Oliver, de 19 anos, passageiro de uma motocicleta e que não resistiu aos ferimentos ao ser arremessado após colisão com uma picape Montana, morrendo no local. Lucas era estudante do curso técnico de Meio Ambiente, na Uniderp Agrárias.


 

  Acidente que vitimou Lucas Oliver, 19 anos. Fotos: Repórter Top - Reprodução/Facebook

No final de semana, um acidente no macroanel, próximo a uma representante da marca Scania, causou a morte de um rapaz de 23 anos. Enermar dos Santos Barbosa dirigia um gol branco no sentido da BR-262, no sábado (26), em Campo Grande, quando bateu de frente com um caminhão e morreu na hora.

O motorista do caminhão era Sedenir Siqueira, de 31 anos. Ele afirmou que o gol vinha em zigue-zague e o motorista perdeu o controle. Sedenir declarou que tentou frear, mas o carro acabou por bater de frente com o caminhão.

Colisão no macroanel. Foto: Landerson Ricardo