tce janeiro
CNH - MOTO
Menu
sexta, 28 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Campo Grande

Última frente fria do inverno promete chuva, mas calor persiste

04 setembro 2015 - 08h16Por Amanda Amaral

Faltam ainda 19 dias para o fim do inverno e a chegada da primavera deste ano, mas a previsão do tempo adianta que Mato Grosso do Sul já pode dar o adeus definitivo para o frio que, teoricamente, deveria ser a característica forte dessa estação, junto com os dias mais curtos e noites mais longas. Segundo as previsões meteorológicas, o campo-grandense pode esperar apenas por breves momentos de clima fresco no final de semana, quando a temperatura mínima deve ser de 17º.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) prevê que a Capital enfrentará mais calor pela frente, mas ao menos mais períodos nublados. Neste domingo (06), as temperaturas oscilam entre os 19ºC e 36ºC, e deve ficar assim ao menos até segunda, quando a mínima pode descer mais dois graus.

A partir de amanhã (5), a chegada de uma frente fria vinda do sul do país pode amenizar um pouco a sensação térmica e há, inclusive, chance de pancadas de chuva em algumas áreas do Estado. Segundo previsão de Natálio Abrahão Filho, chefe do Laboratório de Geofísica e Meio Ambiente da Estação Meteorológica Anhanguera/Uniderp, existe a possibilidade de que chova em pontos isolados na Capital no feriado, na segunda-feira (7), e também no dia seguinte.

Contudo, alerta para áreas de instabilidade associadas a um centro de baixa pressão no sul do país, entre Paraguai e Bolívia, que devem mudar as condições climáticas na madrugada de segunda para terça. Nesse período, pode haver a combinação de chuva volumosa com trovoadas, raios e ventos acima dos 60 km/h no centro-sul, sudoeste e oeste de MS.

Haja picolé para amenizar os dias de calor. Foto: Deivid Correia

Especialista explica

Conforme Filho, as altas temperaturas e a falta de chuva não são anormais, apesar do nome da estação sugerir. A posição geográfica do o Estado e quase todo o Brasil faz com que, a partir desta época do ano, a umidade abaixe muito e problemas como desidratação e queimadas sejam mais frequentes.  “O que é atípico mesmo é que em 2015 não tivemos temperaturas abaixo de 5ºC, nem geadas e massa de ar polar na região. A última vez que isso aconteceu foi em 2002”, explica.

De fato, quem gosta do friozinho não conseguiu curtir por muito tempo as cobertas grossas e os casacos mais pesados, porque as temperaturas baixas foram exceção na maior parte deste período de três meses. O meteorologista relembra que, apesar do clima quase desértico sentido pelos sul-matogrossenses nos últimos dias, a temperatura mais alta registrada no Estado foi em 2010, no município de Coxim, onde os termômetros marcaram 42ºC, sem contar a sensação térmica.

Nesta semana, a umidade relativa do ar chegou aos 10% em algumas cidades do interior, como Água Clara. Em Campo Grande, essa porcentagem chegou a 13, quando o ideal estabelecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para a saúde humana é entre 40 e 70%.