Menu
Busca quinta, 16 de julho de 2020
REFIS SAUDE
Cidade Morena

Ação do MPE na Agetran reacende desconfiança de motoristas sobre 'indústria da multa' na Capital

Promotoria apreendeu documentos que a agência já deveria ter entregue

27 outubro 2016 - 11h40Por Thiago de Souza

A desconfiança de quem trafega pelas vias de Campo Grande em relação à credibilidade dos radares e fotos sensores instalados por toda a cidade não é de hoje. A devassa feita pelo MPE (Ministério Público Estadual) na sede da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), na manhã desta quarta-feira (26) reacendeu a polêmica em torno de possíveis multas aplicadas indevidamente.  

Em janeiro de 2011 foram instalados em Campo Grande os primeiros equipamentos mistos de fiscalização do trânsito. O aparelho mede, ao mesmo tempo, se o motorista ultrapassou o sinal vermelho e se passou por ali em velocidade acima da permitida. As duas primeiras vias a receber esse tipo de dispositivo foram as Avenidas Guri Marques, em frente a Rodoviária e na Rua Joaquim Murtinho, em frente ao Centro de Convivência Vovó Ziza. 

Porém, o alto número de reclamações de motoristas que foram multados em circunstâncias suspeitas levaram o MPE a cobrar explicações da Agetran. Em agosto deste ano os promotores pediram à agência municipal que entregasse relatório contendo informações sobre a aferição do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia) dos equipamentos utilizados para fiscalizar o trânsito nos últimos 5 anos.  

(notificação comprova que equipamento não passou por aferição do Inmetro - Foto: Reprodução)

De acordo com a 29ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público de Campo Grande, a Agetran teria lavrado, entre os anos de 2015 e 2016, diversas multas de trânsito a partir de radares com a aferição pelo Inmetro vencida, “o que afrontaria disposto no art. 3º, inciso II, da Resolução nº 396/2011 do Conselho Nacional de Trânsito. A denúncia procede e pôde ser constatada em maio de 2015, quando um condutor de um Ford Fiesta Sedan Flex foi autuado por avançar o sinal vermelho. Assim que recebeu a notificação, ele constatou no documento que a última aferição do Inmetro ocorreu em maio de 2013, ou seja, o equipamento deixou de passar por pelo menos duas inspeções do instituto para que estivesse funcionando de acordo com a lei.

(equipamento da Perkons gerou suspeitas de motorista ao ser desligado e religado - Foto: Geovanni Gomes) 

Em julho deste ano, um leitor denunciou ao TopMidiaNews que foi multado por uma lombada eletrônica em frente a uma universidade na Avenida Gury Marques. Ele alega que passou a 40km/h, mas que o visor do aparelho mostrou ''58km/h''. Na ocasião houve suspeita de defeito no aparelho por conta que a empresa responsável pelo serviço, a curitibana Perkon, desligou os equipamentos na cidade alegando falta de pagamento da prefeitura. Porém, a empresa disse que não haveria relação do desligamento-religamento com um ''possível desregulação'' da lombada eletrônica.   

A suspeita em relação aos equipamentos que fiscalizam o trânsito na Capital também foi assunto na Câmara Municipal. Em pelo menos cinco vezes houve questionamentos à Agetran em relação à manutenção e a instalação dos aparelhos nas vias da cidade.

Em 2010 o assunto foi abordado durante uma sessão na Câmara, e parlamentares prometeram pedir esclarecimentos sobre a instalação de radares em vias onde não havia necessidade. Em 2013 mais uma vez Agetran e prefeitura foram questionadas e precisaram dar explicações a cerca do funcionamento dos equipamentos.

A Prefeitura de Campo Grande informou, por meio da assessoria de imprensa, que só vai se manifestar sobre o cumprimento dos mandados de busca e apreensão na sede da Agetran, nesta quarta-feira, após o fim da ação da promotoria. 

Leia Também

Assassino de Carla deixou corpo embaixo da cama e foi trabalhar normalmente no dia seguinte
Polícia
Assassino de Carla deixou corpo embaixo da cama e foi trabalhar normalmente no dia seguinte
Especialistas dizem que transmissão pré-natal da Covid-19 é rara
Saúde
Especialistas dizem que transmissão pré-natal da Covid-19 é rara
Atenção motoristas: julho é o mês para licenciar veículos com placa final 5 e 6
Cidades
Atenção motoristas: julho é o mês para licenciar veículos com placa final 5 e 6
Chega de preços abusivos! Procon-MS notifica farmácias de manipulação da Capital
Cidade Morena
Chega de preços abusivos! Procon-MS notifica farmácias de manipulação da Capital