(67) 99826-0686

Após décadas de abandono, governo MS entrega centro poliesportivo da Vila Almeida

Benefício vai chegar a milhares de famílias que poderão contar com práticas de atividades físicas, esportivas e lazer

24 AGO 2019
Da redação/Governo MS
12h15min
Foto: Reprodução/Saul Shramm

A conclusão do centro esportivo é compromisso de um Governo que prioriza as pessoas e quebra padrões das políticas de gestões que deixam obras inacabadas. Os benefícios: comunidade atendida com esporte e lazer e melhoria na segurança local que conviveu décadas com o abandono da obra. Morador da Vila Almeida há 35 anos, o senhor Adércio Geraldo França, de 73 anos, passou 15 anos convivendo com enorme obra inacabada bem em frente a sua residência, na Avenida Engenheiro Américo de Carvalho Bais, onde vive há 35 anos.

“Desde que pararam a obra o local virou abrigo da meninada quem vinha usar drogas”, conta. Segundo ele muita gente passou por lá prometendo retomar a obra, mas ninguém cumpriu a palavra. Até que encontrou com o governador Reinaldo Azambuja no local. Sem a menor cerimônia, o senhor Adércio lembra que falou direto para ele que não acreditava mais em político que só promete e não cumpre. “Ele olhou bem pra mim e disse que eu podia ficar tranquilo: ele iria terminar a obra”.

Com a simplicidade e franqueza, próprio de quem passou por muitas experiências na vida, ele foi logo explicando que político não gosta de terminar a obra deixada pelo anterior. Por isto se surpreendeu quando os primeiros funcionários chegaram para trabalhar. “Reinaldo é pé firme! Foi o primeiro político que honrou com a palavra”, diz todo orgulhoso, principalmente porque, segundo ele, a partir de agora até o movimento comercial da região vai crescer.

Estamos falando do Centro Esportivo da Vila Almeida, que está pronto para ser entregue à população, neste sábado (24)  e vai abranger todo o grande Santo Amaro, Jardim Canadá, Vila Almeida, Coophatrabalho, Vila Sobrinho, José Abrão e proximidades. O benefício vai chegar a milhares de famílias que poderão contar com práticas de atividades físicas, esportivas e lazer. Pessoas de todas as idades poderão usufruir do espaço, gratuitamente, nas diversas atividades disponíveis.

E nos horários que as quadras estarão livres, a meninada poderá praticar o esporte que desejar e até brincar no espaço coberto. “Isto representa saúde, entretenimento e cultura para a comunidade”, aponta o Presidente da Fundesporte, Marcelo Miranda, chamando a atenção para as múltiplas possibilidades de uso do Centro Esportivo que tem, inclusive, um palco para apresentações musicais. “Tudo construído dentro das regras de acessibilidade”, ressalta. Segundo ele o Centro era uma prioridade dentro do Programa do Governo chamado “Obra Inacabada Zero”. “É uma vitória para o esporte e para a comunidade”, frisa.

“É uma estrutura aguardada por essa região há muito tempo e que vai democratizar o acesso ao esporte e proporcionar uma transformação social. Temos trabalhado com os jovens para que tenham boas práticas no esporte. O esporte é uma ferramenta social que tira os jovens das drogas e ainda forma talentos. O Centro Esportivo da Vila Almeida também vai garantir momentos de lazer e isso é muito importante, porque quem trabalha também precisa ter os seus momentos de descanso e descontração”, governador Reinaldo Azambuja.

Como Centro Esportivo multiuso, moradores poderão escolher atividades como zumba, basquete, ginástica para terceira idade, escolinha de futsal para crianças. Serão 12 professores de educação física prontos para atender a demanda da população, e estará aberto inclusive nos finais de semana. O local tem 13 mil m² e quatro mil de área construída, duas quadras polivalentes para prática de futsal, handebol, basquetebol e voleibol,  bloco administrativo, sala de atendimento lúdico, depósito, sanitário público, camarim, armários, vestiários, lanchonete, depósito de material de limpeza e 78 vagas de estacionamento. “Tenho certeza que a comunidade fará bom uso do espaço”, atesta o Presidente da Fundesporte, destacando  a utilização do espaço pela equipes de atletas universitários e paraolímpicos.

Integrante da equipe “Pantanal sobre Rodas”, o  atleta paraolímpico de basquete, Emanuel Rogério de Oliveira, 43 anos, não vê a hora de começar os treinos no Centro Esportivo. Desde 2010, quando passou a fazer parte do time, eles vivem mudando de lugar, porque sempre  espaço apresenta problemas. Há anos que a equipe luta por um local fixo para melhorar a rotina de treinamento. “Vamos ganhar uma casa com direito a sala para nossos equipamentos”, conta Emanuel, explicando que o espaço para guardar as cadeiras de rodas sempre foi um problema para eles.

O entusiasmo do atleta é enorme principalmente por dois motivos: a cesta de basquete hidráulica (móvel) e a total acessibilidade. “Temos até duas linhas de ônibus que param bem na frente”, conta Emanuel. Para ficar ainda melhor, de acordo com o atleta, só falta um transporte exclusivo para a equipe. Em Mato Grosso do Sul existem apenas dois times de paraolímpicos: na capital e em Dourados. Os atletas de Campo Grande usam o transporte público e caronas para se locomoverem para treinos e jogos.

O Presidente da Associação de Moradores do bairro Cophavila, Willian da Silva também está eufórico com a abertura do Centro. “Nossa região era a única que não tinha um complexo esportivo”, diz. Segundo ele o espaço, que abrange oito escolas na região, vai levar muitos benefícios para os moradores. “Vamos ganhar qualidade de vida”, destaca. Que o diga o senhor Adércio que, aos 73 anos, finalmente poderá atravessar a rua, não mais para espantar os usuários de droga, mas para se exercitar e divertir.

Para o secretário Especial Carlos Alberto Assis, a obra impacta na região significadamente.  “Reinaldo teve a sensibilidade de retomar a obra; é um ganho muito grande para a comunidade que terá opções de esporte lazer e cultura. Será também um local onde as famílias possam interagir e mandar seus filhos aos futuros projetos que serão desenvolvidos. O espaço será de múltiplo uso, que poderá ser utilizada com a criatividade dos nossos profissionais de educação física que vão atuar aqui”, explicou.

Veja também