Menu
sexta, 22 de janeiro de 2021
Covid 18/01 a 24/01
Cidade Morena

'Chovem' fichas de alunos sumidos no Conselho Tutelar e pais pedem até reprovação dos filhos

Conselho está notificando pais de alunos de escolas estaduais; escolas municipais estão com atividades suspensas

03 dezembro 2020 - 15h00Por Rayani Santa Cruz

O Conselho Tutelar das regiões do centro, norte e sul de Campo Grande receberam centenas de fichas de alunos evadidos da Rede Municipal e Rede Estadual de Ensino Público.

A coordenadora do Conselho da região central, Ana Cláudia, explicou que somente de uma escola recebeu 500 fichas de alunos ausentes das atividades do ano letivo. “Nós recebemos muitas fichas da rede estadual e municipal e estávamos trabalhando com a notificação dos pais e responsáveis. A dificuldade, por vezes, era pela mudança de número de contato, ou de endereço, mas ficamos surpresos pela quantidade. E isso foi geral em todas as unidades do Conselho”, disse a coordenadora.

As escolas tentaram contato antes de enviar as fichas ao Conselho. Campo Grande possui cinco unidades e sete regiões com diversas escolas públicas. 

Em situação específica a Reme (Rede Municipal de Ensino), a conselheira afirmou que após reunião ontem a tarde, os profissionais foram orientados a aguardar os dez dias de decreto que impõe a suspensão de atividades presenciais da rede para emissão de novas notificações. 

“Ontem foi passado para a gente que foram suspensas por dez dias as atividades escolares. Então não teria como as famílias entregarem os cadernos ou pegarem novos. O que foi acordado é que as escolas farão reuniões com o Conselho de Classe sobre esses alunos e vão analisar cada caso. E os mais graves serão encaminhados ao Conselho. Como saiu o decreto, paramos a notificar os pais. Eles irão fazer uma nova listagem, após esse período”, explicou.

Em relação à rede estadual, a coordenadora citou que as notificações continuam.  

Para Ana Claudia, a situação de alguns alunos é complicada porque já se deparou com pais que desejam que o filho reprove, ou que a família tem histórico de desinteresse na vida escolar e isso afeta diretamente o estudante.

“Tem pais que estão pedindo para reprovar o filho, mas isso é a escola quem vai decidir”, finaliza;

Em contato com os Conselhos norte e sul as ligações não foram atendidas. 

A redação enviou questionamentos a Semed para saber sobre qual será o trâmite em relação a esses alunos. Assim que houver resposta será inserida no texto.