Menu
Busca sábado, 19 de outubro de 2019
Top Ms
Cidade Morena

Assistência social realiza atendimento de beneficiários do Bolsa Família

Atualmente Campo Grande conta com 31 mil famílias que recebem o benefício com valor médio de R$164

18 setembro 2019 - 15h15Por Da redação/PMCG

A Prefeitura Municipal de Campo Grande, por meio da SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social) realizará a terceira edição da Campanha “Tereré com Bolsa Família”, que tem por finalidade o atendimento de 1.685 famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família que não cumpriram com a condicionalidade do benefício.

Campo Grande conta com 31.152 mil famílias que recebem o benefício com valor médio de R$164. As ações serão realizadas do dia 23 de setembro até 1 de outubro, a partir das 8h, nos 20 CRAS , conforme cronograma. As famílias envolvidas, que receberam a convocação para o encontro por meio das unidades escolares, participarão dessas rodas de conversa, de modo informal, vislumbrando esclarecer dúvidas, a fim de reduzir os descumprimentos.

Em seguida haverá atendimento pelas unidades das famílias com consulta de Cadastro Único e demanda de atualizações e atendimento técnico, principalmente, devido a recursos e acompanhamento familiar do SICON. As chamadas condicionalidades do Programa Bolsa Família são compromissos assumidos entre o poder público e as famílias beneficiárias do programa. As famílias têm que cumprir requisitos nas áreas de Saúde e Educação para receberem o benefício, caso contrário, o mesmo pode ser suspenso.

Dessa forma, os beneficiários precisam ficar atentos às condições estabelecidas, na área de Educação, que é a frequência escolar de 85% para crianças de 6 a 15 anos e de 75% para jovens de 16 a 18, e a necessidade em manter a vacinação em dia. Na área de Saúde, devem fazer o acompanhamento nutricional das crianças menores de sete anos e o pré-natal para as gestantes.

“De acordo com a legislação, o não cumprimento das condicionalidades prevê efeitos que vão desde advertências aos beneficiários até o bloqueio ou a suspensão do recebimento do benefício”, explica Viviane Brandão, Gerente de Gestão do Cadastro Único.

A partir das informações das famílias que constam no Cadastro Único e no Sistema de Benefícios ao Cidadão (SIBEC), o Sistema de Condicionalidades (SICON) do MDS gera o público com perfil para acompanhamento das condicionalidades para acompanhamento, ou seja, uma tabela com informações das crianças e dos adolescentes de 6 a 17 anos que deverão ter a frequência escolar verificada, informações das crianças de 0 a 6 anos que deverão ter o calendário vacinal, o peso e a altura acompanhados, além de dados das mulheres em idade fértil para identificação das gestantes e acompanhamento do pré-natal.

Com base na relação das famílias em seu território, os municípios realizam o acompanhamento, coletam os resultados da frequência escolar e do atendimento em saúde e os registram nos respectivos sistemas da saúde e da educação. Quando uma família descumpre os compromissos do Bolsa Família, são aplicados efeitos que podem causar repercussão nos benefícios. Esses efeitos são gradativos e variam conforme o histórico de descumprimento da família, registrado no SICON. O qual permite o acesso a todos os descumprimentos e repercussões sobre o benefício de determinada família.

Os efeitos dos descumprimentos são:

  • Advertência: a família é comunicada de que algum integrante deixou de cumprir condicionalidades, mas não deixa de receber o benefício.
  • Bloqueio: o benefício fica bloqueado por um mês, mas pode ser sacado no mês seguinte junto com a nova parcela.
  • Suspensão: o benefício fica suspenso por dois meses, e a família não poderá receber os valores referentes a esse período;
  • Cancelamento: a família deixa de participar do PBF.

Para a progressão de um efeito para o seguinte, considera-se o intervalo de seis meses. Por exemplo, “caso uma família tenha sido advertida, em março de 2014, e venha a incorrer em um novo descumprimento, em período inferior ou igual há seis meses (ou seja, até setembro de 2014), o efeito progride para bloqueio. Mas, se o novo descumprimento ocorrer em prazo superior a seis meses, o efeito será a advertência, isto é, reinicia-se a aplicação gradativa dos efeitos.”, explicou Viviane.

Recursos

Quando o descumprimento ocorrer por motivos em que cabem justificativas — seja por alguma situação ocorrida na própria família, seja por erro no registro dos dados de acompanhamento —, o beneficiário pode entrar com recurso junto à gestão municipal do Bolsa Família, com a finalidade de reverter o efeito aplicado.

Mais informações 67 3314-4482 ramal 6037 ou 6038 , ou pelo e-mail dibe@sas.campogrande.ms.gov.br