Menu
sábado, 19 de setembro de 2020
Cidade Morena

Com câncer de intestino, motorista não encontra bolsa de colostomia e situação é urgente

Sem dinheiro para comprar o item, que custa em média R$300, casal pede ajuda

23 março 2019 - 09h30Por Nathalia Pelzl

A dona de casa Jéssica*, de 38 anos, relatou o descaso do poder público e a falta de material também em alguns setores da APAE, em Campo Grande. O marido dela, motorista de 42 anos, que está afastado do serviço devido a um câncer no intestino, precisa da bolsa de colostomia, no entanto o material não está sendo fornecido desde outubro de 2018.

“Desde outubro não está tendo, eles estão dão outra bolsa que não é especifica, tem qualidade 50% inferior, fui lá essa semana e me informaram que não tem previsão de chegar esse mês”, desabafou.

Indignada, ela pensa em procurar a Defensoria Pública. Segundo ela, como precisa cuidar do marido acaba ficando impossibilitada de trabalhar, sendo a renda do casal apenas o salário que ele recebe do afastamento.

“De quatro em quatro dias a bolsa precisa ser trocada, não pode ficar sem e é urgente a situação dele. Não temos como comprar, tirar do bolso, cada bolsa custa em média R$ 300, temos o custo de água, luz e comida”, lamenta.

O que diz a SES

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde informou que o fornecimento da bolsa de colostomia está em processo de transição devido à descentralização do serviço hoje prestado pela Secretaria Estadual de Saúde para a CER/APAE, que vai atender todo o Estado.

Segundo a secretaria, durante esse processo podem ocorrer algumas faltas pontuais, mas em breve os materiais serão disponibilizados.

* A pedido da dona de casa, ela e o marido terão os nomes preservados.

Leia Também

Prefeito em MS ameaça dar tiro em bolsonaristas
Polícia
Prefeito em MS ameaça dar tiro em bolsonaristas
Chuva pode dar as caras já neste sábado e no domingo em Campo Grande
Cidade Morena
Chuva pode dar as caras já neste sábado e no domingo em Campo Grande
Brasil tem 739 mortes pela covid-19 em 24 horas, diz Ministério da Saúde
Geral
Brasil tem 739 mortes pela covid-19 em 24 horas, diz Ministério da Saúde
Saudade é tanta, que um ano após perder o filho, Thayelle ainda escuta Miguel chamar
Entrevistas
Saudade é tanta, que um ano após perder o filho, Thayelle ainda escuta Miguel chamar