ALMS - RAMAL
Menu
Busca segunda, 13 de julho de 2020
ALMS
Cidade Morena

Comentários de que Centro não é lugar de pobre revoltam prefeito

Marquinhos está tentando transformar dois prédios abandonados em habitação popular

23 agosto 2019 - 17h00Por Rayani Santa Cruz

Após divulgação de que o abandonado Hotel Campo Grande pode virar moradia popular para pessoas com renda de 1 a 3 salários mínimos, houve comentários de desaprovação e até preconceito por parte de alguns campo-grandenses nas redes sociais.

“Vai encher de pobre no centro”, “vai virar um favelão vertical”,  “será um pombal” e até mesmo “vamos ver varais de roupas até do lado de fora do prédio” foram postados nas redes sociais e revoltaram o prefeito. 

Desaprovando completamente esse tipo de publicação, Marquinhos Trad (PSD) lamentou que alguns campo-grandenses tenham feito postagens beirando ao preconceito com os mais pobres.

“Vocês precisam ver a alegria das pessoas ao serem sorteadas. Eu quero modificar esse hotel [Hotel Campo Grande] para acolher o programa da habitação, a minha perplexidade são os comentários das pessoas dizendo que eu vou levar pobre para morar no Centro”.

Chateado, Marquinhos reforçou que existe planos para  adaptar outro prédio abandonado próximo ao Mercadão (na rua 26 de Agosto).  Serão apresentados dois projetos e se o Retrofit (programa de reforma) aprovar, Campo Grande pode ter dois locais reformados para habitação popular no centro.

“Eu fiquei muito chateado, pobre de espírito são aqueles que fizeram esses comentários. Não vai virar um pombal como estão falando. Ali vai ser moradia de seres humanos dignos. São pessoas que merecem viver no Centro também, e elas não ganham acima de três salários porque não tiveram a mesma oportunidade desses que estão reclamando”, lamentou o prefeito. 

Leia Também

Rosemir baleou criança de quatro anos na cabeça ao abrir fogo para matar ex-mulher
Polícia
Rosemir baleou criança de quatro anos na cabeça ao abrir fogo para matar ex-mulher
Brasil chega a 72,1 mil mortes por covid-19 e 1,86 milhão de casos
Saúde
Brasil chega a 72,1 mil mortes por covid-19 e 1,86 milhão de casos
Rosemir matou esposa foi por não aceitar fim do relacionamento
Polícia
Rosemir matou esposa foi por não aceitar fim do relacionamento
Homem mata a esposa, atira nos filhos e se mata em igreja de Dourados
Polícia
Homem mata a esposa, atira nos filhos e se mata em igreja de Dourados