TCE MAIO
(67) 99826-0686

Na Capital, ministro faz vistoria em casas e encontra ‘criadouro de mosquitos’

'Conscientização precisa aumentar', alertou durante o dia 'D' de combate à dengue em MS

2 DEZ 2016
Thiago de Souza
17h06min
Casa vistoriada em ação contra a dengue tinha muito lixo Foto: Thiago de Souza

''A conscientização popular ainda é algo a ser trabalhado no Brasil'', destacou o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, general Sérgio Etchegoyen, que esteve na Capital para participar de ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti. Em Campo Grande, 12 pessoas morreram vítimas da doença somente este ano.  

Os trabalhos do dia 'D' de combate ao mosquito da dengue foram promovidos pela Prefeitura Municipal de Campo Grande, na tarde desta sexta-feira (2), na Escola Municipal Professor Plínio Mendes dos Santos, no Bairro Guanandi. 

No ato, estavam presentes alunos, professores e agentes de saúde da comunidade. O ministro falou às crianças e disse que elas precisam ser 'super-heróis ou super-heroínas' no combate à dengue. ''Basta escolher toda sexta-feira para chamar o papai e a mamãe e vistoriar o quintal para não deixar nenhum criadouro do mosquito'', enfatizou o ministro. 

“Não adianta colocar Exército, Marinha e Aeronáutica para fiscalizar todas as casas, se não conscientizarmos as pessoas, não venceremos essa guerra”, declarou o Etchegoyen. ''A guerra é diária, mas o Brasil escolheu a sexta-feira para intensificar o combate á doença'', concluiu. 

(ministro Etchegoyen (dir) em ação de combate à dengue junto a alunos da Escola Plínio Mendes dos Santos - Foto: Thiago de Souza)

No pátio da escola, se reuniram diversas autoridades, entre elas o prefeito Alcides Bernal (PP), o secretário de Saúde de Campo Grande, Ivandro Fonseca, a delegada Rosely Molina, e a secretária de Educação, Leila Machado. Eles assistiram uma apresentação em vídeo de uma paródia composta pelos alunos, cujo refrão diz ''O mosquito é perigoso, cuidado ele pode te pegar''.  

 (Alunos ouvem fala do ministro que pediu para eles serem 'super-heróis' no combate à dengue)

A aluna Raquel Vitória,15, foi uma das compositoras da paródia e já foi vítima de zika. ''Foi muito estranho ter essa doença... Dói muito'', relatou a aluna. ''É por isso que eu conscientizo as pessoas para que destruam pneus velhos para que não sirvam de criadouro para o mosquito da dengue'', concluiu. 

Em seu discurso, Bernal disse que Campo Grande viveu duas grandes epidemias de dengue, uma em 2013 e outra este ano, e que a Capital tem capacidade de se recuperar diante do surto da doença. 

Segundo o secretário Ivandro Fonseca, o decreto que institui a força-tarefa de combate à dengue foi publicado hoje no diário oficial, e as ações vão acontecer nas sete regiões da cidade e nas 687 micro-áreas. 

Ao final do evento, as autoridades fizeram uma fiscalização surpresa em uma das residências e encontraram um cenário completamente favorável à proliferação do mosquito da dengue, com garrafas jogadas pelo quintal, pedaços de ferro e entulho acondicionados em local inadequado. 

O ministro Etchegoyen disse ainda que não há riscos de corte no orçamento para a saúde, que será maior em 2017 em relação a este ano. Também falou que nenhum país está preparado para uma epidemia de dengue, por isso a necessidade de fazer a prevenção. Ele deixa Campo Grande e retorna a Brasília no final da tarde de hoje.  

Ações

Segundo a agente de fiscalização da Vigilância Sanitária de Campo Grande, Maria Aparecida Machado, até 30 de outubro de 2016 foram executadas 8.555 fiscalizações relacionadas à dengue, 278 notificações e 80 autos de infração. 

Conforme os dados da agente, foram 1.654 denúncias relacionadas a possíveis focos do mosquito Aedes Aegypti, recebidas pela ouvidoria do SUS (Sistema Único de Saúde) neste ano.  

Veja também