Menu
Busca sábado, 14 de dezembro de 2019
Cidade Morena

Controle da água em Campo Grande passa a ser mais rigoroso com funcionamento de laboratório

O Laboratório de Águas funciona dentro do Laboratório Central

17 julho 2019 - 09h53Por PMCG

O Laboratório Municipal de Controle da Qualidade de Água vinculado a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) retomou o funcionamento este mês depois de dois anos necessários para adequações. Membros do Conselho Municipal de Saúde (CMS) visitaram o local nesta terça-feira (16) para conhecerem o processo de trabalho e os dados amostrais coletados até o momento.

O Laboratório de Águas funciona dentro do Laboratório Central (LabCen) e foi concebido para atender a legislação vigente e garantir que a qualidade da água consumida pela população de Campo Grande seja de boa qualidade.

O exame da água, principalmente daquela destinada ao consumo humano, é de fundamental importância. Por ele pode-se ter certeza de que a água distribuída é de confiança, se está isenta de microrganismos ou substâncias químicas que podem ser prejudiciais à saúde das pessoas.

A análise da água é realizada por meio amostral e coletada no cavalete de locais de grande circulação de pessoas e de atendimento público, com Escolas Municipais, unidades de saúde, centros comerciais, praças e parques públicos. Para atender o parâmetro amostral determinado por legislação, são necessárias 636 amostras anuais analisadas em Campo Grande.

Dentro das análises, é avaliada a turbidez, coliformes totais e fecais, fluoretação (presença de flúor) e outras características físico-químicas, como odor e cor.

A superintende de Vigilância em Saúde, Veruska Lahdo, que acompanhou a visita dos membros do CMS, destaca a importância da retomada do funcionamento do Laboratório. “Estamos retomando o serviço dentro do mínimo exigido por legislação, para atender uma reinvindicação antiga do Conselho, da sociedade e da população que deseja saber se é de boa qualidade a água consumida”, explicou.

A coordenadora da Vigilância Ambientas (CVA), Silvia do Carmo apontou que “se for encontrada qualquer anormalidade em alguma amostra é possível, imediatamente, comunicar a concessionária de abastecimento, os órgãos de fiscalização e de controle para tomarem as medidas cabíveis”.

A coordenadora da Mesa Diretora do Conselho Municipal de Saúde, conselheira Maria Auxiliadora Ribeiro Vilalba Fortunato ponderou que o Laboratório de Águas é uma ferramenta importante para o controle social da qualidade da água consumida pela população.

Os resultados das amostras serão publicados ao final de cada ano para contribuir para o acesso
à informação para a população.

A Ouvidoria da SESAU (3314-9955) recebe as reclamações sobre a qualidade da água fornecida pela concessionária de abastecimento. Devido a prioridade da demanda, que inclui principalmente risco à vida de outras pessoas, as reclamações são encaminhadas imediatamente à CVA para as devidas providências.