TCE ABRIL 16 A 22/04
Menu
quarta, 21 de abril de 2021
MS MAIS SOCIAL 21 E 22/04
Cidade Morena

Laço causa ferimento em doguinho e dona acusa petshop de descuido no Jardim Aeroporto

Um elástico foi preso ao rabo do animal e causou lesão; Dono do Pet diz que mulher deixou enfeite no animal por mais tempo que o recomendado

07 dezembro 2020 - 13h00Por Rayani Santa Cruz

Adryelle Pohlmann usou a página Aonde Não Ir em Campo Grande para relatar que  a cachorrinha quase perdeu o rabo após banho em um Pet Shop do Jardim Aeroporto. Um elástico com laço foi amarrado e causou lesão e sangramento na região.

Segundo a publicação, a mulher levou a cadela ao Pet da avenida Vanderlei Pavão na quinta-feira passada (3) e, após um dia, notou que a cachorra estava triste. Ao verificar, a dona entrou em contato com o Pet e retirou o elástico. Ela diz que o proprietário do local foi mal-educado.

“Queria deixar expressa minha indignação com o Plutus Pet Shop localizado na Av. Vanderlei Pavão No Jardim Aeroporto na quarta-feira (03/12/20) mandei minha cachorra para banho nesse estabelecimento, ela voltou com três lacinhos sendo dois na orelha e um no rabo. Quando foi ontem (04/12) notei minha cadela decaída e exalando um mau odor quando notei que o rabo dela estava vermelho com sinais de inflamação foi quando percebi que eles amarraram com um elástico o laço no rabo dela, ela estava muito dolorida, mas apesar disso consegui arrancar o laço com uma tesoura, como era a noite hoje logo pela manhã entrei em contato com pet shop que compareceu na minha casa para buscá-la, porém o dono foi extremamente mal-educado, além de falar num tom grosseiro e alto na frente da minha casa comigo, disse que a culpada era eu por não ter tirado o laço assim que ela chegou em casa, eu disse que eles que não deveriam colocar algo que machucasse o cachorro, portanto, a responsabilidade era dele”, diz trecho da publicação.

A mulher conta ainda que bateu boca com o proprietário do Pet e, após ele ter pego o animal para levar novamente à loja, ela mudou de ideia e gritou de volta para ele devolver. Ela cita que, após isso, entrou em contato e ameaçou chamar a Polícia.

A cadela foi devolvida e está sendo cuidada por outro veterinário. “Enfim, trouxe minha cadela a outro veterinário que está cuidando da ferida dela e ela corre até o risco de perder o rabo pela falta de circulação que houve. Então fica o meu alerta pra que vocês tenham cuidado ao levarem seus animais a esse pet shop e sobretudo com esse dono desse estabelecimento que não tem uma gota de humildade em reconhecer o seu erro e pela sua arrogância ao falar com uma cliente”.

O outro lado

Em contato com o proprietário do Pet, que se identificou como Júnior, ele explicou inicialmente que as datas que a ex-cliente cita não coincidem. Ele afirma que a cadela foi levada ao Pet na terça-feira e somente na sexta a noite a mulher entrou em contato. Ele disse que ao entregar o animal a funcionária orientou a retirada do enfeite e que a cadela passou três dias com o laço e isso causou a lesão.

Júnior disse ainda que mesmo não tendo responsabilidade sobre o ferimento que fora causado pela dona não ter tirado o laço, ele se dispôs a tratar do ferimento com curativos e custear a medicação. “Três dias depois ela ligou falando estar machucada.  Ela foi estúpida comigo, e foi avisado que o cachorro não pode permanecer de forma permanente com o enfeite. O que ela disse que gritou pra eu trazer de volta o cachorro e eu me recusei não é verdade. Eu simplesmente disse que ia buscar a cachorra e cuidar, expliquei para ela os motivos de ter acontecido a lesão e ela aceitou. Depois que eu a coloquei no carro fui em direção ao Pet e não ouvi ela gritando. Ao chegar no Pet eu soube que ela queria a devolução da cachorra e assim fizemos. Mas em momento nenhum me recusei a cuidar ou entrar em acordo. Ela quem não quer resolver de forma tranquila”.

O proprietário diz que a mulher não tentou mais contato e realizou a publicação. “Ela não tentou mais falar comigo. Ela não quer resolver nada. A cadelinha saiu do meu Pet Shop em perfeitas condições. O que vai acontecer é que eu vou acabar tendo que processá-la por calúnia”, desabafou.

Chorou ao falar que ama os animais

Uma funcionária do Pet disse a reportagem que os animais são tratados como se fossem delas. Ela cita que em nenhum momento o ocorrido foi feito por maldade e que elas amam cuidar dos pets.

 “A gente tentou até prestar um atendimento. Na terça-feira a Sandy veio; ela é um cão que sempre vem. A dona ama os enfeites e quando isso é feito, a gente sempre informa que deve tirar o laço se incomodar. Tem cão que tira sozinho e tem cão que não. Eu falei para olharem o laço no rabo. Quando entregamos a cachorra, foi uma menor que estava na casa dela quem recebeu. Na sexta a noite, ela ligou e falou sobre o laço. Ela não tinha tirado ainda e nós pedimos para ela tirar. Ela não informou que estava grave. Nós fomos no sábado para pegar e prestar atendimento. Chegamos lá, e explicamos. Colocamos a cachorra no carro e não ouvimos ela gritar, que queria de volta”, disse.

A funcionária cita que o Pet se dispôs a procurar um veterinário, mas após isso a dona do animal pediu para retornar com a cadela e isso foi feito. “Entregamos, ela começou a falar as coisas para o meu patrão. Depois disso, a mãe da mulher foi ao Pet e explicamos a situação. A gente não teve intenção, jamais faríamos isso. Quando a gente entregou a cachorrinha a gente avisou sobre o enfeite e orientamos a retirar se incomodasse”. 

Ao final a funcionária se emocionou, chorou, e reafirmou que se a dona da cadelinha tivesse deixado, eles tinham prestado todo o atendimento. “Em nenhum momento a gente quis mal para a cachorrinha. Infelizmente aconteceu, isso. Nós queríamos prestar socorro, mas ela não quis mais. Entendemos o que ela passou, mas não tivemos a oportunidade de nos retratar e cuidar do ferimento” finaliza.