Menu
terça, 15 de junho de 2021
Cidade Morena

Empatia de vendedor não apenas salvou vida, mas ajudou família a economizar R$ 100 mil

Seu Ademir levou uma bala de oxigênio em minutos para ajudar a mãe de Aline, que estava aos prantos em busca do material

10 junho 2021 - 17h00Por Dany Nascimento

A solidariedade de Ademir Soares Campos é um alento em meio a tantas notícias tristes. Vendo uma jovem em desespero, aos prantos em busca de oxigênio para a mãe, que está com covid-19, ele se desdobrou para atender a família rapidamente, em Campo Grande.

Quem conta a história é arquiteta Aline Maiara Pereira da Silva, 29 anos. Segundo ela, a mãe saiu do hospital em um domingo e precisava conseguir abastecer a bala de oxigênio. 

“Eu achei que não ia faltar, ela estava utilizando o oxigênio que um amigo nos doou, ele tirou da empresa dele, para nos ajudar. Minha irmã, que é medica, me falou que o oxigênio não daria para minha mãe passar a madrugada. Eu entrei em desespero, ela estava no quarto, isolada e não tinha como diminuir porque ela ia ver que estávamos desesperadas. Ela estava com 50% do pulmão comprometido, mas a saturação dela não era para internação, então conseguimos manter ela em casa”, diz a filha. 

Após ligar para vários locais, um amigo médico enviou o telefone de Ademir. “Liguei para muitas pessoas, ninguém atendia, ninguém respondia. No domingo não tinha nenhuma empresa para nos atender, fiquei horas ligando. Apavorei achando que Seu Ademir seria mais um que não ia atender, na segunda chamada eu estava chorando muito, ele atendeu. Ele pediu para eu ficar calma, perguntou o que era, expliquei o caso aos prantos. Falou que só conseguia entregar às 17 horas, que tinha muitos para entregar. Eu aceitei e fiquei aguardando. Em meia hora, Seu Ademir estava na minha casa com o oxigênio”, diz Aline. 

A arquiteta se emociona ao lembrar o gesto de Ademir, que ajudou a salvar a vida da mãe. “Chorei muito, queria abraçar ele, não podia abraçar, chorei e agradeci pelo que ele estava fazendo pela minha mãe. Ele respondeu dizendo que é o trabalho dele, mas ele agiu diferente de muitas pessoas. Depois ele ficava mandando mensagem para eu cuidar o oxigênio, que precisando, ele ia entregar até mesmo de madrugada”, conta Aline emocionada. 

Hospital pediu R$ 100 mil por internação

A jovem destaca, ainda, que um hospital particular de Campo Grande pediu R$ 100 mil pela internação da mãe. 

“Enquanto tem pessoas como se Ademir, outras tentam se aproveitar da situação de desespero. Liguei para meu pai desesperada, ele falou que não conseguia vender nada rápido, mas conseguiu R$ 50 mil. Ofereci no hospital, não aceitaram. Eu fui para outro hospital oferecer o que eu tinha pela internação da minha mãe. Isso tudo aconteceu antes da gente encontrar Seu Ademir”, diz Aline. 

A jovem ressalta que a vida da mãe foi salva com ajuda de Seu Ademir, das filhas e dois amigos. 

“Agradeço de coração todos que ajudaram. Minha irmã fez consulta online, depois veio para  Campo Grande para cuidar da minha mãe. Meu amigo dono de uma empresa, que cedeu oxigênio, meu outro amigo, que é médico, e está na linha de frente no Hospital Regional, que orientou a não medicar a minha mãe com medicamentos que familiares tinham. Minhas tias queriam que minha mãe tomasse, porque elas tiveram e tomaram, mas alguns remédios poderiam até aliviar no início, mas depois iam causar sangramentos e prejudicar ainda mais a saúde da minha mãe. Foram anjos, que ajudaram”, diz a arquiteta. 

A mãe de Aline já não precisa respirar com ajuda de oxigênio e está em casa, ao lado das filhas.

Seu Ademir

O TopMídiaNews conseguiu contato com Ademir, que disse que fez apenas seu trabalho e consegue ajudar a salvar vidas. Para contratar os serviços da empresa de Ademir, liguei 67 3386-8173.