Menu
sábado, 19 de setembro de 2020
Cidade Morena

Mãe de criança especial se desespera sem conseguir professora auxiliar mesmo com laudo médico

"A gente se sente abandonada, a escola fala que é na Semed, e a Semed diz que e tem que aguardar na escola”, diz

11 março 2019 - 07h00Por Nathalia Pelzl

Thais Alves, 25 anos, pede providências para que sua filha Emilly Maria Alves, 5 anos, tenha acompanhamento de uma professora auxiliar na Escola Municipal Professora Arlene Marques Almeida, no Bairro Canguru, em Campo Grande, já que possui laudo médico com a solicitação.

“Faz mais de um mês do começo das aulas e minha filha, que é especial, necessita de acompanhamento, está sem professora. Ela tem laudo médico, no ano passado ela tinha uma que acompanhava ela.  Agora, a gente vai à escola, a escola manda pra Semed, ai vou à Semed e me mandam esperar. Ninguém dá nenhuma explicação, só fala que tem que esperar”, ressaltou a mãe revoltada.

Segundo a mãe, a filha ainda não fala nada e, por isso, levou a criança apenas uma vez durante todo o período  escolar deste ano. Para descobrir e ter um diagnóstico exato, agora a família está tentando tratamento em Brasília para saber se a  menina é portadora de alguma síndrome.

“Até onde sabemos ela nasceu com miocardiopatia dilatada, atraso do desenvolvimento, atraso na fala e anda com dificuldade. Estamos tentando um tratamento em Brasília com um especialista para descobrir se é alguma síndrome, mas também não é descartada a possibilidade de autismo”, relata.

Para amenizar e auxiliar no desenvolvimento, Emilly faz acompanhamento na APAE desde os dois anos.

“Minha filha ainda não fala nada, faço acompanhamento com ela há três anos na APAE, com fonoaudióloga, psicóloga, fisioterapeuta e TEO. Agora chegou a hora de ir para escola, a gente se sente abandonada, a escola fala que é na Semed, e a Semed diz que tem que aguardar na escola”, finaliza.

Resposta da Semed

Em nota, a Semed informou que "o profissional solicitado pela mãe da aluna Emily Maria Alves, estava em processo de designação. A professora designada para atender a aluna estava providenciando os documentos necessários para sua contratação. O processo já foi concluído e a professora auxiliar começará a trabalhar na escola Arlene Marques nesta segunda-feira (11), a partir das 13 horas, atendendo a aluna".

* Matéria editada às 10h13 para acréscimo de posicionamento da Semed

Leia Também

Apresentador da Record denuncia intolerância religiosa em carro de app: 'evangélico'
Geral
Apresentador da Record denuncia intolerância religiosa em carro de app: 'evangélico'
Motorista da Uber furta calça jeans, confessa crime no Stº Antônio, mas nada de devolver
Cidade Morena
Motorista da Uber furta calça jeans, confessa crime no Stº Antônio, mas nada de devolver
Chuva não chega em Corumbá, mas na Bolívia tem até temporal e nevasca
Interior
Chuva não chega em Corumbá, mas na Bolívia tem até temporal e nevasca
Após seis dias, Dourados volta a ter mortes por covid-19
Interior
Após seis dias, Dourados volta a ter mortes por covid-19