Menu
quinta, 25 de fevereiro de 2021
Cidade Morena

Motoristas reclamam de passageiros 'porquinhos' e destacam prejuízo em Campo Grande

Cada vez que um passageiro suja o carro, o motorista tem que parar as corridas para fazer a higiene do veículo

23 fevereiro 2021 - 15h00Por Dany Nascimento

Quem é que não gosta de solicitar uma corrida de motorista de aplicativo e encontrar o veículo limpo para seguir viagem? Mas, parece que alguns passageiros não têm empatia pelo motorista e acabam abusando da paciência dos condutores, que precisam sempre limpar o carro pela falta de consideração de alguns clientes. 

Motorista de aplicativo há mais de três anos, Aparecido Pereira, 49 anos, afirma que já passou apuro pelas ruas. 

“Já teve pessoa que vomitou dentro do carro e não quis arcar com a limpeza. Acontecem esses problemas, principalmente em época festiva. Já aconteceu de gente que até pisou em cocô de cachorro e entrou no carro. Eu tive que correr para um lava-jato”, relembra o profissional. 

Ele destaca que, na saída de balada, já teve que chamar atenção de passageiro, que queria continuar ingerindo bebida durante o percurso. 

“É complicado, já peguei passageiro que queria entrar com copo de cerveja cheio, falei que eu ia esperar ele terminar de tomar, ele falou que ia reclamar do atendimento. Falei que ia cancelar para ele pedir outro, porque eu não poderia transportá-lo tomando cerveja”, diz Aparecido. 

O motorista relata os problemas, mas também destaca as boas corridas que já realizou. “Também tem os bons passageiros, eu graças a Deus já fui motorista diamante, tenho mais de seis mil corridas, tenho três mil corridas cinco estrelas. Tem esses ruins, mas tem alguns que são muito educados, graças a Deus”. 

Assim como Aparecido, Valdinei Souza, 34 anos, que realiza corridas há mais de dois anos, afirma que diariamente encontra um passageiro que não respeita os aspectos de preservação limpeza do veículo. 

“Todo dia passo por uma situação complicada, é corriqueiro isso,  é pessoa com criança, entra no carro com a criança sem cadeirinha. Tem mãe que não cuida em casa, muito menos dentro de um carro que não é dela, a criança não senta certo, quer ficar segurando no banco da frente, fica em pé. Pessoa quer comer dentro do carro, não autorizamos isso, porque prejudica a próxima corrida”, diz o motorista. 

Ele relembra que uma mãe chegou a dar comida escondido para o filho durante a viagem.

“Já aconteceu de falar para passageira que tinha que comer quando terminasse corrida. Ele falou tudo bem, deu comida escondida para filho, quando cheguei, ela acertou e saiu rápido. Eu tenho habito de olhar para trás para ver se o cliente esqueceu alguma coisa. Quando olhei, vi muito farelo, coco ralado derramado no carro. Vim para casa limpar para continuar. Se tivesse o mínimo de educação, não faria isso”, diz o condutor.