Menu
Busca sábado, 28 de março de 2020
camara 23 a 31/03
Cidade Morena

NÃO CAIA EM GOLPES: delegado dá dicas para idosos evitarem criminosos durante quarentena

Solidariedade é bom, mas delegado alerta para 'espertinhos' que querem tirar vantagens

24 março 2020 - 19h00Por Nathalia Pelzl

Em época de pandemia do coronavírus, o pedido dos governantes é claro: fique em casa e, por isso, muitas pessoas se solidarizaram com idosos e pessoas do grupo de risco para ajudar em tarefas antes consideradas simples, como fazer compras.

No entanto, com isso também fica o alerta para que essas pessoas não sejam vítimas de estelionatários e outros golpistas da praça.

Em conversa com o TopMídiaNews, o delegado titular das Depacs, João Eduardo Davanço, listou alguns cuidados essenciais.

“O ideal é que os idosos procurem ajuda de algum familiar ou vizinhos, e evitem contato com pessoas estranhas, para não serem vítimas de crimes. Assim evita, principalmente, crimes de estelionato, furto e roubo”, pontua.

Davanço reforça que não existe um perfil específico de criminoso, no entanto, geralmente são pessoas boas de conversa, que se mostram solidárias e amistosas com a vítima.

“O autor tenta conquistar a confiança da vítima, através de uma conversa cordial para depois se aproveitar situação e tirar vantagem”.

Além de tudo, em tempos de tecnologia, é preciso estar atento aos crimes virtuais.

“Com relação aos golpes virtuais, sugiro que antes de clicar ou repassar a mensagem, que verifiquem se aquela informação é verdade, fazendo uma simples pesquisa no Google. De cara, já se mostra se verdade ou mentira, bem como se estamos diante de um golpe. Isso também serve para as Fake News, sempre chequem a informação antes de repassar a mensagem”.

Em Campo Grande, com o decreto de calamidade pública, a criminalidade, segundo o delegado, também diminuiu e a orientação segue a mesma: fique em casa.

“O movimento das DEPACs está tranquilo, pois estamos atendendo os casos mais graves, de acordo com a Portaria da Polícia Civil de enfrentamento ao COVID-19”.

CASO PRECISE: 

REDE DO BEM

Nas redes sociais, uma onda de solidariedade tomou conta e diversas pessoas estão usando grupos se disponibilizando ajudar de alguma forma.

No grupo do Facebook, chamado ‘Aonde Não ir em Campo Grande, a estudante Roseane Terra, 20 anos, moradora do Portal da Lagoa, é uma das voluntárias que se disponibilizou a fazer compras aos idosos da região uma vez por semana

Ela falou sobre o motivo da iniciativa. “Pela situação que está. A gente achou que não ia acontecer, seria bom se todo mundo pudesse fazer uma corrente do bem para ajudar ao próximo. Vi que mais 7 pessoas publicaram, seria bom se cada bairro tivesse isso”.

A jovem também deixou o contato para as pessoas que precisam na região, (67) 99197-7312.

Leia Também

STF suspende dívida de MS e libera dinheiro para combater coronavírus
Economia
STF suspende dívida de MS e libera dinheiro para combater coronavírus
Combate à Covid-19 poderá ter os R$ 2 bi do fundão, define relator
Política
Combate à Covid-19 poderá ter os R$ 2 bi do fundão, define relator
Ciro promete levar Bolsonaro a Haia por genocídio e crime contra a humanidade
Política
Ciro promete levar Bolsonaro a Haia por genocídio e crime contra a humanidade
Na Lata: Campo Grande tem só 256 leitos pra coronavírus e quem vai morrer é pobre
Na Lata
Na Lata: Campo Grande tem só 256 leitos pra coronavírus e quem vai morrer é pobre