Menu
domingo, 24 de janeiro de 2021
Covid 18/01 a 24/01
Cidade Morena

Omertà: Pantanal Cap aposta em decisão favorável da Justiça antes de devolver dinheiro de cartelas

Antes de ter escritório lacrado, na quarta-feira, cerca de três mil cartelas já haviam sido vendidas

03 dezembro 2020 - 19h00Por Thiago de Souza

O Pantanal Cap, que promove sorteios de prêmios pela Tv, em Campo Grande, espera decisão favorável da Justiça antes de falar em devolução do dinheiro das cartelas vendidas. O escritório da empresa foi lacrado pela Justiça, nesta quarta-feira (2), depois de mais uma fase da Operação Omertà. 

Conforme o consultor que presta serviços para a empresa e também é o apresentador dos sorteios, Guto Dobes, a empresa já acionou a Justiça para conseguir uma liminar e poder fazer os próximos sorteios e consequentemente não precisar devolver os valores aos compradores. 

Segundo Dobes, a empresa acredita que em um prazo de dez dias já deve haver uma decisão judicial sobre o assunto. 

‘’Pedimos paciência [aos compradores], não é a primeira vez que a empresa é obrigada a parar e sempre resolvemos tudo da melhor maneira’’, declarou o apresentador. Ele destacou que, caso consiga a liminar, mas não der tempo de sortear os prêmios no próximo domingo (6), o sorteio pode ser transferido para o outro começo de semana. 

‘’Caso contrário, vamos optar pela devolução do dinheiro’’, diz Dobes. Como o escritório foi lacrado, os dados ainda são incertos, mas ele estima que, na segunda e terça-feira, foram vendidas de duas a três mil cartelas, cujo valor é R$ 20,00. 

O sorteio do próximo domingo já estava agendado e os prêmios seriam uma casa, no valor de R$ 200 mil, um carro e uma motocicleta. Por ora, o sorteio está cancelado. 

Sobre as acusações da força-tarefa da operação Omertà, Dobes esclareceu que o Pantanal Cap não trabalha com qualquer outro tipo de jogo, como o jogo do bicho. Ele fez questão de ressaltar que a empresa tem contrato com cerca de 26 distribuidores, que são os responsáveis pela venda das cartelas. Neste caso, a empresa não é responsável caso algum dos distribuidores venda as cartelas no mesmo lugar onde são feitas apostas do bicho. 

‘’Consideramos a decisão da Justiça como arbitrária e não havia necessidade de fechar o escritório enquanto outras situações sejam investigadas’’, refletiu Dobes.