Menu
sábado, 26 de setembro de 2020
Quase autodeclarado

Palhaço que espalha arte pelas ruas diz o que faria pelos trabalhadores se fosse presidente

Educação e arte estão nas prioridades do excelentíssimo senhor Putuco

01 maio 2019 - 14h50Por Thiago de Souza

Bastante popular em Campo Grande, Júlio César Franco Virgini, 36 anos, o palhaço Putuco, que trabalha de sol a sol pelas ruas da cidade, faz uma reflexão sobre o dia do trabalhador. Ele se colocou na condição de presidente para falar o que deve ser feito para que um dia o feriado seja somente de comemoração e não de lamentos.

Para combater o nefasto índice de 13 milhões de desempregados, sua primeira medida de governo seria investir em educação.

''Daria condições para os professores lecionarem melhor para os seus alunos. Incluiria respeito ao professor, tanto para os alunos quanto para os pais. Se ele não estudar, teria de reprovar'', anuncia Putuco ao criticar a aprovação sem critérios apenas para gerar índices positivos na educação.

O segundo decreto do excelentíssimo Putuco, publicado no Diário Oficial do Palhaço, aposta na formação da mão de obra, principalmente para jovens.

''Daria oportunidade para jovens, porque os jovens são o futuro da nação. Condições de ganhar pelo menos um salário mínino, como menor aprendiz ou mirim'', sugere.

Palhaço-presidente quer mais educação. (Reprodução Facebook)

A qualificação profissional é tida pelo ''presidente'' como fundamental na geração de vagas de trabalho.

''E para os pais, criaria a oportunidade de voltar a estudar. Para o trabalhador se especializar naquilo que ele quer, dar cursos para eles, por exemplo, mestre de obras ou artista. Criar impostos para que sejam revertidos para escolas profissionalizantes'', decreta.

Palhaço quer que arte seja respeitada. (Foto: reprodução Facebook)

Vida dura

Sobre sua atuação como artista de rua, Putuco não se vê valorizado e pede respeito. Seu maior sonho é gravar um CD com músicas infantis, mas falta apoio.

''As autoridades não têm um projeto para gente. Aqui as pessoas não têm visão, sou um compositor infantil. Aqui [Campo Grande] tem cantores famosos como Luan Santana e Michel Teló, mas não tem um artista infantil'', reclama Putuco.
Sobre o feriado do trabalhador, Putuco diz que a situação precária que o país vive é fruto de más gestões de governos anteriores, mas que a mudança só virá com esforço de todos.

''Como cidadão essa é a visão que eu tenho. O Brasil, para ele mudar, tem que todos quererem mudar, os políticos e até as pessoas mesmo'', reflete.

Esperança

Diante de um novo governo, o presidente-palhaço mantém a esperança de dias melhores. '' Se ele [Jair Bolsonaro] cumprir só 30% do que prometeu, já será um bom presidente. Porque os presidentes não costuamm fazer nem 10% do prometido'', constatou Putuco.

Serviço: para quem quiser o trabalho do Putuco, o contato é: 67 9 9813-0980.

Leia Também

Resultado negativo da Covid-19 faz Julia chorar de alívio e matar a saudade da 'vó mãe'
Cidade Morena
Resultado negativo da Covid-19 faz Julia chorar de alívio e matar a saudade da 'vó mãe'
Reme ainda não tem prazo para retorno das aulas presenciais
Cidade Morena
Reme ainda não tem prazo para retorno das aulas presenciais
Caminhoneiro morre ao capotar veículo na serra de Maracaju
Interior
Caminhoneiro morre ao capotar veículo na serra de Maracaju
Prefeitura libera apresentações de artistas de fora e festas em condomínios
Cidade Morena
Prefeitura libera apresentações de artistas de fora e festas em condomínios