Menu
segunda, 21 de setembro de 2020
Cidade Morena

Para MP, assassino de Mayara tentou induzir laudo psiquiátrico e agiu por completo sangue frio

Julgamento de autor confesso é marcado por ânimos exaltados e ataques, mas promotora não tem dúvidas quanto a crueldade do crime

29 março 2019 - 16h23Por Amanda Amaral e Nathalia Pelzl

O Ministério Público Estadual classifica o comportamento de Luís Bastos, assassino confesso da musicista Mayara Amaral, como manipulador e de extrema frieza. A afirmação da promotora Aline Lopes é uma resposta às declarações da defesa do acusado, em dia de seu julgamento no Fórum de Campo Grande.

Para o MPMS, a alegação da defesa técnica sobre o autor não ter plena capacidade psiquiátrica e que agiu por violenta emoção não devem ser consideradas pelo júri popular.  A promotora mostrou exemplos de casos conhecidos em que psicopatas cometeram crimes graves e diz que em nada diminui a culpa e frieza de Bastos ao matar e calcular os passos seguintes para tentar se safar de qualquer responsabilidade.

“É o ditado ‘uma imagem fala mais que mil palavras’, o corpo jogado fora do porta-malas é o retrato do desprezo, serviu para a relação e a hora que não serviu mais, o menosprezo. [...] Ele se mostra bonzinho, mas se for contrariado se transforma e somente o uso da droga não seria suficiente para cometer o crime, e sim o distúrbio da personalidade, psicopatia”, alega a promotora. 

Para a acusação, Luís é totalmente capaz de entender que matar uma pessoa é errado e que manipulou a perícia que o classificou como semi-imputável. Ainda, mostrou entrevista da psiquiatra e escritora Ana Beatriz Silva, em que ela aponta que o psicopata é uma forma de existir,  em que a pessoa traz com ela a maldade em sua personalidade.

Defesa

Exaltado, o advogado de defesa Conrado Passos refuta todas as alegações e seguia na tentativa de convencer o júri de sete pessoas a se comoverem com as motivações do assassino. Uma delas, seria a raiva causada por discussão após Luís ter sido informado que foi contaminado com doença sexualmente transmissível pela vítima.

Chorando, o pai de Mayara, entregou exames médicos na promotoria e o documento anexado ao processo. Nele, é confirmado que a filha não tinha sífilis ou qualquer outra doença.

Passos insiste na falta de discernimento do cliente. "Ninguém está pedindo imputabilidade, estamos querendo semi-imputabilidade, ela [promotora] está distorcendo os fatos, virou comentarista de atestado médico. Está aqui o laudo. Foi embasado na entrevista, ela está querendo induzir vossa excelência ao erro”, disse ao juiz.

Aos gritos, seguiu acusando as justificativas da acusação do Ministério Público. “Ela quer insinuar que a perita é picareta, aí é demais. Ela aceitou o laudo na primeira etapa, todos aceitaram, agora na segunda etapa vem tentar com um golpe de mágica distorcer os fatos. Olha aqui esse laudo, então vou engolir, rasgar, não é possível, uma pessoa afirma que serve depois muda de ideia", disse.

Ainda fez deboche com a promotora, dizendo que talvez ela tenha passado apenas pela faculdade, “talvez não tenha nem a OAB, por isso provavelmente está na promotoria, já que OAB é mais difícil. [...] O laudo é perfeito, não tem contradição”, afirmou.

O advogado reforçou sua tese de que houve provocação por parte da Mayara e defende que o caso deva ser tratado como homicídio simples, descartando todas as qualificadoras que podem aumentar a pena de Bastos.

Leia Também

Apesar de fracas, chuvas continuam na terça e deixam clima fresquinho em Campo Grande
Cidades
Apesar de fracas, chuvas continuam na terça e deixam clima fresquinho em Campo Grande
Trio morre ao trocar tiros com policiais do DOF após assalto em Naviraí
Interior
Trio morre ao trocar tiros com policiais do DOF após assalto em Naviraí
Brasil tem 377 mortes por covid em 24 horas e total chega a 137 mil
Geral
Brasil tem 377 mortes por covid em 24 horas e total chega a 137 mil
Laudo diz que fígado de menino de 4 anos 'explodiu' após surra da madrasta
Geral
Laudo diz que fígado de menino de 4 anos 'explodiu' após surra da madrasta