tjms 18/01 a21/01/2021
Menu
terça, 19 de janeiro de 2021
dengue
Cidade Morena

Pastor se casa às pressas com ex-amante e pretende continuar à frente da ADM de MS

Sites de "fofoca gospel" dizem que Antônio Dionízio quer se reeleito para presidente da igreja e nega ter cometido pecado

13 janeiro 2021 - 13h00Por Rayani Santa Cruz

O pastor Antônio Dionízio, líder da igreja Assembleia de Deus Missões em Mato Grosso do Sul, casou-se às pressas com a ex-amante após polêmica e divulgação do vídeo em que dá tapas na bunda da mulher. Ele quer permanecer como presidente do ministério, diz o site O Fuxico Gospel.

Dionízio não está preocupado com críticas e chegou a fazer post ‘tirando onda’ na página do Facebook. “Eu sobrevivi a 2020! E para 2021 gratidão”.

Conforme o portal, após divórcio conturbado com a ex-mulher, com quem possui filhos (inclusive o ex-deputado federal Elizeu Dionísio), o pastor casou-se em uma cerimônia ‘às escondidas’ e com poucas pessoas.

As afirmativas dentro da igreja são que o religioso tenha traído a esposa com quem permaneceu casado por mais de 30 anos. 

Logo após a oficialização do casamento, o evangélico retomou o cargo como presidente da Assembleia, mesmo a contragosto de alguns pastores, que reprovaram a decisão da Mesa Diretora da igreja.

O Fuxico afirma que o pastor José Wellington, presidente de honra da CGADB, chegou a sugerir que ele renunciasse a presidência. Porém, Dinízio se recusou e já se prepara para a reeleição e retomada no cargo.

Quer mudar estatuto da igreja

Alguns fieis se revoltaram com a volta do pastor, que agiu como se nada tivesse acontecido. Ele chegou a dizer que não cometeu pecado algum e nega escândalos.

O site Conttei.com diz que o pastor tentou mudar o estatuto da igreja durante culto no último domingo (10). O portal não deu detalhes sobre qual seria a mudança apresentada.

“Durante o culto o pastor Antonio Dionízio negou que tenha estado em pecado com a cantora gospel, alegando que agora está casado. Vale lembrar que o casamento foi realizado às pressas e às escondidas, com apenas meia dúzia de fiéis parceiros. O que chamou a atenção de um dos fiéis, foi uma papelada que Antonio levou para o culto, que dava conta de uma mudança no estatuto da igreja. Mas como não tinha pessoas suficientes para a votação, o mesmo cochichou com alguns apoiadores e recuou.”